Margarettown por Gabrielle Zevin

Margarettown por Gabrielle Zevin

"Um lugar. Uma mulher. Um amor."

Resumo:
Esta história podia ser sobre qualquer pessoa. Tu, os teus pais, os teus melhores amigos. Mas não é. É sobre uma mulher chamada Margaret Towne e o homem que se apaixona por ela....


(mais em inglês)

Rating: 3,5/5



Opinião:
Confesso que sou suspeita porque gosto bastante da escrita de Gabrielle Zevin. Gosto da maneira como ela pega em situações completamente normais (ou já conhecidas) e lhes dá o seu próprio encanto, as conta à sua maneira. Quando peguei em Margarettown tive duas reacções, primeira, porque raio tinham colando os autocolantes do preço sobre o M e o N do título que obviamente os tinha descolorado e, segundo, que raio de linha para captar a atenção.
Hoje em dia acredito que a capa de um livro é muito importante, não face à história que este contêm mas face à nossa decisão de lhe pegar. Sem o nome de Gabrielle Zevin na capa, provavelmente não teria pegado em "Margarettown" ou se tivesse pegado, assim que visse a linha "Um lugar. Uma mulher. Um amor." o mais provável era o livro ter voltado para a pilha. Mas o nome dela estava lá e por isso peguei no livro e por isso o trouxe para casa e por isso o li em dois dias.
Margarettown tem dois narradores, o primeiro que conhecemos não tem nome e não terá nome a história toda para além de "N_", "pai da Jane" ou "marido da Margaret". Ele diz-nos que está a contar a história de como conheceu Margaret e se apaixonou por ela porque quer que a filha saiba a história toda.
Margaret Towne, Maggie para nós, é uma personagem, no mínimo, complexa. Mora na cidade de Margarettown, numa casa chamada Margaraton com cinco familares todas mulheres chamadas respectivamente Margaret, Marge, Greta, Meg e May. (E sim, todos os nomes são diminutivos de Margaret).
Se isto por si só não é estranho, a história levar-nos-à por caminho complexos. A verdade é que não há como resumir esta história sem contá-la, lembra-me um pouco o filme "O Grande Peixe". Contar a realidade misturando-a com fantasia.
Recomendo "Margarettown" para pessoas que gostem de histórias de amor "complexas", diferentes e baseadas em factos reais e imaginários. Não é uma típica história de amor mas também, Margarettown não é uma cidade típica.

0 leitores reagiram:

Que pensam Encruzilhad@s?