E-books Potter facturam 1 milhão em 3 dias


Os e-books de Harry Potter vendidos no site Pottermore arrecadaram 1 milhão de libras, algo como 1,13 milhões de euros, em vendas nos três dias após a sua colocação para venda a 27 de Março deste ano, relevou o chefe executivo Charlie Redmayne.

 (Ler mais...)


 Em entrevista à radio Litopia durante o seu programa "The Naked Book", ontem de tarde (4 de Abril), Redmayne disse que as vendas dos primeiros três dias excederam todas as expectativas da empresa. Redmayne afirma mesmo que nunca se viram semelhantes números em vendas de e-books.
O número de cópias digitais vendidas dos livros de Harry Potter pode ter mesmo batido as vendas de livros em papel nas semanas dos seus lançamentos. Redmayne afirmam que se tinha antecipado um número muito mais pequeno de vendas, ao olhar para os números de vendas dos livros impressos, esperavam que a proporção de vendas digitais fossem de um valor que acabou por ser largamente ultrapassado. Apesar de afirmar que o volume de vendas baixou Redmayne admite que este continua a exceder as expectativas.
Redmayne disse ter colocado uma infraestrutura e uma equipe de apoio ao cliente prontas a darem apoio a tudo o que os clientes necessitarem. "Tudo o que evolve Harry Potter supera as expectativas. Tínhamos de planear algo que não podíamos antecipar."
 Quando questionado sobre qual o título mais vendido da saga do jovem feiticeiro Redmayne recusou-se a comprometer-se, dizendo que a melhor oferta no site de momento é sem dúvida o "conjunto de sete livros" que actualmente figura com um desconto de 10% e que custa aproximadamente 58 libras, ou seja, aproximadamente 70 euros. Este "conjunto" é também o responsável pelos elevados valores de vendas, sendo sem dúvida o "título" que mais vende pois é o que mais consta nos carrinhos de compras dos cibernautas.
Quanto à pirataria de e-books de Harry Potter, esta teve um ligeiro aumento no dia em que os e-books oficiais foram lançados mas foi seguida por uma súbita descida. Redmayne acredita que aos disponibilizar os livros do jovem feiticeiro oficialmente a pirataria dos mesmo acabará por eventualmente diminuir. 

0 leitores reagiram:

Que pensam Encruzilhad@s?