Errar é Divino de Marie Phillips

Errar é Divino
de Marie Phillips

Edição/reimpressão: 2009
Páginas: 284
Editor: Editorial Presença

Resumo:
Em pleno século XXI, os deuses do Olimpo estão vivos, mas como os seus poderes já não são como eram, o seu dia-a-dia é muito pouco lisonjeiro. Forçados a coabitar numa casa decrépita em Londres, vêem-se obrigados a dedicar-se a ocupações mundanas: Artémis passeia cães, Dionísio é DJ numa discoteca, Afrodite atende chamadas eróticas e Apolo é apresentador de televisão. E é por uma briga entre Afrodite e Apolo que nada vai voltar a ser como dantes. Para se vingar de Apolo, Afrodite pede a Eros que dispare uma das suas setas contra ele… Apolo acaba por se apaixonar por uma mera mortal e, quando os dois mundos chocam, as consequências são hilariantes.

Rating: 3/5

Comentário:
Não me quero alongar muito nesta crítica até porque acredito que não há muito a dizer. Li este livro numa tarde e foi uma experiência bastante divertida.
O livro é simples mas tem a sua originalidade e para que gosta de mitologia grega vai estar mesmo no ponto! A ideia de que os deuses gregos são reais, ainda estão vivos e tiveram de se adaptar aos novos tempos é giríssima e nem vos conto o quanto me ri por Eros se arrepender de não ter conhecido Jesus, só porque estava ocupado com outras coisas no Monte Olimpo na altura que este andou na terra.
O desenvolvimento da história está bem construído e o livro não promete mais do que dá, ao contrário de outros, em Errar é Divino, a promessa séria de acção, aventura e romance é cumprida.
A escrita de Marie Phillips é leve e simpática e podemos acompanhar a história como um filme na nossa cabeça, o que não só torna tudo muito mais fácil como ajuda a que nos entretenhamos durante o tempo que estamos a ler no livro. Na realidade a história é tão adaptável para o grande ecrã e o título é tão giro que nem sei como é que ainda ninguém tratou disso.
Um livro a ler de preferência talvez na praia para combater um pouco a neblina londrina presente e algumas referências ao frio submundo. Ao pegar em Errar é Divino temos nas mãos um romance com alguma acção e muitas referências mitológicas que acabam por dar um toque interessante à história.

0 leitores reagiram:

Que pensam Encruzilhad@s?