"Não sei como tens tempo para ler..."

Certamente que já por mais de uma vez vos perguntaram "Como é que tem tempo para ler?". A questão é sem dúvida pertinente principalmente no ano em que não foi escolhido nenhum vencedor do prémio Pulitzer da Ficção porque o júri, segundo Laura Miller da revista Sallon, este demasiado ocupado com o seu trabalho, não teve tempo para ler mais que um ou dois livros este ano que passou.
Jodi Chromey editora do MN Reads expressou o seu descontentamento perante esta situação, não só com o comentário de Miller, mas também perante a situação com a frase "Antes de mais, se a comissão do Pulitzer está cheia de pessoas demasiado ocupadas para ler ficção, então precisamos de por na comissão pessoas que não estão ocupadas." 
Após esta afirmação Jodi Chromey entra numa discussão sobre o como odeia que certas pessoas lhe perguntem como tem tempo para ler, principalmente, afirma ela, pela maneira como o fazem. Jodi comenta que muitas pessoas consideram o acto de ler algo que apenas as pessoas desocupadas tem tempo para fazer. Como se elas, sendo pessoas importantes e ocupadas e portanto, não tendo tempo para ler, se admirassem por existir pessoas que o tem.
Ora, é de minha opinião, que nem todas as pessoas tem uma malícia genuína a fazer esta pergunta. Há pessoas que ficam genuinamente surpreendidas com a quantidade de livros que leio e em como tenho tempo para os ler. Se calhar até acham que o meu trabalho é mais fácil que o delas e que permite algumas sessões de leitura, mas obviamente que não se trata de nada disso. (Embora deva admitir que tem a sua piada imaginar-se escondida no wc com um livro na mão a desesperar no meio de um capítulo de saga e ter as minhas colegas na zona dos lavatórios a perguntarem-se se alguma coisa terá acontecido na minha vida privada!)
Há sempre tempo para ler. J.K.Rowling, a escritora de Harry Potter, disse numa entrevista que lê imenso e quando lhe perguntaram como tinha tempo, esta prontamente respondeu que se tivesse a fazer algo que em que ficasse com uma mão livre, estaria sem dúvida com um livro aberto nessa mão a ler. Confirmo esta teoria pois a Cláudia lê bastante nos transportes públicos (aliás, ela publicará algo sobre isso em breve) e eu por minha vez, leio bastante enquanto espero, quer seja pela minha vez no médico, quer seja pela minha senha no talho, quer seja pelo fim do intervalo da série de televisão que estou a ver.
A verdade é que ter tempo para ler é uma opção, sei que maior parte das pessoas dirá que não tem tempo para ler mas terá tempo para ver a novela. Não julgo, acho que cada um deve fazer no seu tempo livre aquilo que bem lhe apetecer e a mim o que me interessa são livros. É lê-los, folheá-los, interpretá-los e vive-los! É chegar ao GoodReads, pô-los na minha prateleira a ler e dar-lhes estrelas, escrever o que senti enquanto os lia e procurar mais um companheiro de jornada para ler.
Isto não quer dizer que não veja filmes ou séries, claro que vejo, tenho bastante gosto em fazê-lo, aliás, aqui há dias vi finalmente o "Sherlock Holmes: Um Jogo de Sombras" e já acabei de ver todas as minhas séries, que agora só voltam em Setembro. Pelo meio disto tudo, mais o trabalho, mais médico, e tudo o mais tive tempo para ler! Este mês já li sete livros, um infantil, duas short-stories, quatro livros "normais" e vou a meio de um romance (caminho portanto para os oito!), segundo o GoodReads isto dá um total de 1708 páginas lidas só este mês, porque se entrar no número total que li este ano, chego com facilidade às 12138 páginas.
Estas páginas, como é óbvio, não se leram sozinhas, mas fora lidas com amor e carinho no meu tempo livre.
Por isso quando a mim me perguntam como tenho tempo para ler a minha resposta é simples, "oh, quando se gosta arranjasse sempre um tempinho". E vocês, caros leitores, como se sentem quando vos perguntam como tem tempo para ler? Sentem-se ofendidos como Jodi ou acreditam que as pessoas perguntam por curiosidade?


Ki
(Catarina)
Sobre a autora:

Bibliófila assumida e escritora de domingo. Gosta de livros e tudo o que esteja relacionado com eles, tem a mania que tem opiniões sobre coisas e gostas de as expor no seu blog conjunto Encruzilhadas Literárias, tem também uma conta no GoodReads e é das melhores coisas que já lhe aconteceu.

5 leitores reagiram:

  1. Eu sinto-me sempre ofendida, sempre! mesmo que sejam pessoas que tmb leiam, parece que afirmam: não-acredito-que-consigas-ler-tanto-duvido-que-leias-e-eu-gosto-de-ler-devagar-para-perceber-a-historia. LOL como se eu lesse depressa não percebesse! grr irrita-me profundamente!

    e cada um tem o seu ritmo de leitura, eu já não consigo ler devagar, aborrece-me. :/

    muitos ou poucos, depressa ou devagar, o importante é que se leia!

    ResponderEliminar
  2. Olá Mafi!
    Compreendo perfeitamente essa situação de que falas! Chega a ser desesperante! O que interessa a velocidade a que lemos? Obviamente que compreendemos o livro senão seria uma perda de tempo e dinheiro!
    Eu também já não consigo ler devagar, tenho um ritmo próprio e gosto de ler aquela velocidade! E concordo contigo! O que importa é lermos :D

    ResponderEliminar
  3. Compreendo e partilho o ponto de vista da Mafi! As donas deste blogue sabem muito bem o quão agitada é a minha agenda e desde terça feira que já vou no terceiro livro! Tempo para ler? Há sempre!

    ResponderEliminar
  4. Eu já cheguei a fazer essa pergunta algumas vezes, mas nunca em tom ofensivo. Ficava admirada com colegas de universidade que, no meio de tantos trabalhos e avaliações, liam a um ritmo vertiginoso. Houve alturas na universidade em que passava meses sem ler livros não direccionados ao curso, porque andava sempre ocupada.
    Mas comecei a perceber que o que importa é a forma como gerimos o tempo e que, se o fizermos bem, vamos ter sempre tempo para ler, sem nos descuidarmos das outras obrigações.
    Este ano, mesmo com a tese e o estágio, guardo sempre uns minutos à noite e nos transportes para ler e, embora só leia em média uns 2 livros por mês, sinto-me bem porque consigo continuar a fazer algo que adoro, sem me prejudicar na vida profissional.

    Quando acabar a tese, vou-me desforrar!

    Como vocês já referiram, há muita gente que faz a pergunta em tom provocativo, como se ler fosse uma actividade digna de quem "não tem mais nada que fazer", como se fosse uma perda de tempo. Mas ler só nos traz benefícios a todos os níveis! Sendo assim, vamos continuar a ser felizes a ler! :)


    bjinho

    ResponderEliminar
  5. Ora aí está Denise! Esse é o espírito! E compreendo perfeitamente, quando entrei para a Universidade quase que não lia nada fora das leituras obrigatórias para a licenciatura! Mas com um bom jogo de anca tudo se consegue :D

    ResponderEliminar