O Olho de Golem de Jonathan Stroud

O Olho de Golem
A Triologia Bartimaeus - Livro 2
de Jonathan Stroud

Edição/reimpressão: 2005
Páginas: 462
Editor: Editorial Presença

Resumo:
Dois anos passaram desde os últimos acontecimentos. Nathaniel tem agora catorze anos e é adjunto do Ministro da Administração Interna. O seu dever é desmantelar a Resistência, uma organização de comuns que quer derrubar o poder dos magos. Mas quando um ataque-surpresa de um golem é atribuído erradamente a este grupo, Nathaniel vê-se obrigado a pedir ajuda a Bartimaeus, ainda que com relutância. Entretanto, um jovem membro da Resistência, Kitty Jones, planeia roubar o túmulo sagrado do grande mago Gladstone. É então que, numa noite, os destinos de Nathaniel, Bartimaeus e Kitty se encontram sob os desígnios de algo bem mais poderoso… Alternando a focalização da acção entre Nathaniel e Kitty e com alguns capítulos contados na primeira pessoa por Bartimaeus – que confere a sua nota de sarcasmo e de humor irreverente à sempre crescente tensão – este novo volume guia-nos até Praga, faz-nos perseguir um esqueleto pelas ruas de Londres, testemunhar actos ousado e penetrar no mundo sórdido do governo dos magos. 


Rating: 4/5


Comentário: 
Depois do primeiro livro da trilogia Bartimaeus é impossível não querer pegar no livro seguinte. Agora há mais uma personagem que se junta à história. Kitty Jones, uma cara nossa conhecida do primeiro livro mas que não teve muito importância, volta e entra para o elenco das personagens principais.
Tal como o resumo diz passaram dois anos desde o primeiro livro e Nathaniel cresceu. Tem catorze anos e é o mais novo adjunto de sempre do Ministro da Administração Interna, quem leu o primeiro livro sabe que este é o sonho de Nathaniel tornado realidade, finalmente parte do reconhecimento que ele sempre esperou. É extremamente fascinante ver o crescimento de Nathaniel como personagem, a maneira como ele se move e pronuncia e maneira como Bartimaeus o vê tornam este livro algo de fascinante. 
Este é também o livro em que uma personagem feminina toma um papel mais principal. Para mim, Kitty era o que faltava à dupla. Agora que Nathaniel está mais crescido a história precisava de uma personagem pragmática e idealista para contrabalançar com a sua ambição.
Kitty Jones vem preencher este papel. Neste livro abordamos a sua história e como ela chegou à Resistência e quais são os verdadeiros objectivos desta. Temos também pela primeira vez a visão do mundo pelo lado dos não mágicos e podemos sentir a sua opressão face aqueles que tem magia.
Esta dicotomia, apesar de levemente abordada no primeiro livro, toma uma dimensão maior agora que Nathaniel já tem catorze anos e já percebe coisas que não lhe faziam sentido quando era mais novo.
O crescendo do livro acaba por criar uma ponte para o terceiro volume da trilogia e revela-se como sendo um pedra importante no caminho.Uma saga sem dúvida a não perder!
  • Podem ler o nosso comentário ao primeiro volume da trilogia "O Amuleto de Samarcanda" aqui;

0 leitores reagiram:

Que pensam Encruzilhad@s?