Os Despojados de Ursula Le Guin

Os Despojados I
Uma utopia ambígua
de Ursula K. Le Guin
Edição/reimpressão: 1983
Páginas: 156
Editor: Europa-América
Resumo:
No seu romance mais ambicioso e profético, Ursula K. Le Guin realizou um espantoso tour de force: a arrebatadora história de Shevek, um físico brilhante que tenta reunir sozinho dois planetas, separados um do outro por séculos de desconfiança.
Anarres, a pátria de Shevek, é uma lua árida, colonizada por uma civilização anarquista utópica; Urras, o planeta-mãe, é um mundo muito semelhante à Terra, com as suas nações beligerantes, grande pobreza e imensa riqueza. Shevek arrisca tudo numa corajosa visita a Urras - para aprender, para ensinar, para partilhar. Mas a sua dádiva transforma-se em ameaça... e no conflito profundo que daí resulta Shevek é forçado a reexaminar a sua filosofia de vida.

Os Despojados II
Uma utopia ambígua
de Ursula K. Le Guin
Edição/reimpressão: 1983
Páginas: 156
Editor: Europa-América
Resumo:
Eis que chegamos à segunda e última parte de os Despojados. Assistimos na primeira parte à ida de Shebek para Urras, um planeta muito semelhante à Terra, com as suas nações beligerantes, grande pobreza e imensa riqueza.
Nesta Segunda parte, Ursula K. Le Guin descreve-nos o conflito profundo de Shebek perante uma realidade completamente diferente do seu planeta pátria, Anarres, dominado por uma civilização anarquista utópica. Um romance profético e um espantoso tour de force da notável escrita de Ursula K. Le Guin, considerada pela critica internacional uma escritora inteligente e excelente.


Rating: 3,5/5


Comentário:
Resolvi comentar estes livros juntos pois a versão original em inglês conta com apenas um volume. 
Numa altura em que os universos distópicos estão na moda com livros como Os Jogos da Fome, Divergente, União e Delirium é bom falarmos também dos universos distópicos que além de serem mais antigos tem uma estrutura anormal ao típico romance distópico.
No típico mundo distópico as sociedades consideram-se perfeitas e um modo de vida para o bem estar comum foi criado. Em Panem as pessoas estão divididas em distritos, em Chicago em facções, em União e Delirium as pessoas estão separadas do mundo exterior por o mesmo ser sujo e imperfeito.
Em Os Despojados damos por nós em dois planetas com meios de vida opostos mas que afirmam ambos ser a "utopia". Em Anarres não há nada, quando Urras desistiu de colonizar esta sua "lua" deixou as pessoas para morrerem, numa utopia em que ninguém tem nada mas onde os bens e as pessoas circulam para o bem de todos. Em Urras o dinheiro é rei e senhor, sendo um planeta capitalista o poder está nas mãos daqueles que têm dinheiro. No meio destes dois Shebek tenta sobreviver e perceber a diferença entre ambos e como duas "utopias" podem ser tão diferentes uma da outra.
Ursula Le Guin é das minhas autoras favoritas, a sua escrita não é particularmente fácil e os seus livros não são muito conhecidos em Portugal. Creio que escreve melhor para adolescentes do que para adultos mas a verdade é que já ganhou inúmeros prémios com vários dos seus livros, logo trata-se apenas de uma questão de gosto pessoal.
No entanto, devo admitir que as suas ideias tendem a ser bastante originais e a maneira como ela lida com as situações e personagens não é das mais comuns. Esta história acaba por ser um bom exemplo daquilo que falo.
Recomendo Ursula Le Guin para todos os amantes de ficção cientifica e para quem esteja interessado em ler sobre realidades distópicas.

0 leitores reagiram:

Que pensam Encruzilhad@s?