O Livro de Feitiços de Deliverance Dane de Katherine Howe

O Livro de Feitiços de Deliverance Dane
de Katherine Howe
Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 408
Editor: Editorial Planeta
Resumo:
Um romance cativante, maravilhosamente escrito, que se passa entre o nosso tempo e um dos mais fascinantes e conturbados períodos da história da América - os julgamentos das bruxas de Salem. Connie Goodwin, uma brilhante aluna de História na Universidade de Harvard vê-se obrigada a passar o Verão a pesquisar para a sua tese de doutoramento. Mas quando a mãe lhe pede para tratar da venda da casa abandonada da avó, perto de Salem, não tem como recusar. À medida que é arrastada de forma cada vez mais profunda para os mistérios da casa da família, Connie descobre uma chave antiga dentro de uma Bíblia do século xvii. A chave contém um fragmento de pergaminho amarelecido com um nome escrito: Deliverance Dane. Esta descoberta lança Connie numa demanda: descobrir quem foi essa mulher e conseguir desenterrar um raro artefacto de poder singular: um Livro de Feitiços, cujas páginas encerram um repositório secreto de sabedoria perdida. Quando as peças da pungente história de Deliverance começam a encaixar-se, Connie é assombrada por visões dos distantes julgamentos de bruxas e começa a temer que esteja mais ligada ao passado obscuro de Salem do que alguma vez pudera imaginar. Escrito com espantosa convicção, O Livro de Feitiços de Deliverance Dane viaja continuamente entre os julgamentos de bruxas nos anos de 1690 e a história de mistério, intriga e revelação de uma mulher moderna.

Rating: 3,5/5

 Comentário: 
Gosto bastante de livros como este de Katherine Howe por um simples motivo: Cumprem o que prometem. Prefiro que um livro comece com uma promessa simples e desenvolva para algo mais, do que aqueles livros que prometem mundos e fundos em relação às suas histórias (p.ex. o próximo Tolkien da escrita mundial!) e que depois lhes pegamos e aquilo não nos sabe a nada. (Ainda escreverei um artigo sobre isso... hmmm...)
Este livro é passado em duas linhas de tempo, o que é algo que eu normalmente aprecio, temos o ano de 1991, onde a nossa protagonista Connie está e o ano de 1690, onde Deliverance está. A história vive desta viagem constante entre estas duas datas e tenta revelar lentamente o seu enredo sem revelar o grande segredo final.
Para quem, como eu, gosta de histórias a  "duas vozes" e se contorce quando começa a perceber por onde a história está a ir, graças à parte do passado, e gostaria de poder dar um berro ou um estalo, às personagens do presente que sinceramente ás vezes parecem umas tolinhas, este livro é do ideal.
Em termos de descrições este livro é bastante visual e é daqueles que quase que conseguimos ver o filme na nossa cabeça. Isso acaba por manter uma pessoa distraída do facto de algumas coisas serem previsíveis e mantém a leitura bastante interessante.
Outra das grandes vantagens que tive foi saber muito pouco sobre as bruxas de Salem e por isso fui sendo surpreendida ao longo da narrativa por factos sobre as mesmas e sobre os julgamentos. Apesar de ter tido algum receio que a narrativa pudesse ser muito chocante esta manteve-se de bom tom. Creio que o facto da escritora ser descendente de duas das bruxas julgadas poderá ter ajudado ao caso.
Para o que esperava do livro, apesar de já estar há algum tempo para o ler, devo confessar que fiquei alegremente surpreendida. A história tem os seus mistérios e a relação de Connie com a mãe e a sua colega de quarto de universidade é simples e divertida. A história de amor não é surpreendente mas chega a deixar uma pessoa um pouco com com coração nas mãos, principalmente quando a parte das bruxas e o enredo se começam a descortinar.
Resumindo um livro interessante que se aconselha principalmente para quem gosta de um pouco de "magia" nas suas histórias.


Book trailer:

0 leitores reagiram:

Que pensam Encruzilhad@s?