Rubrica: Hush, Hush por Becca Fitzpatrick

hush, hush
de Becca Fitzpatrick

Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 320
Editor: Porto Editora
 
Resumo:
UM JURAMENTO SAGRADO
UM ANJO CAÍDO
UM AMOR PROIBIDO

Apaixonar-se não fazia parte dos planos de Nora Grey. Nunca se sentira atraída por nenhum dos rapazes da sua escola, apesar da insistência de Vee, a sua melhor amiga.
Então, aparece Patch. Com um sorriso fácil e uns olhos que mais parecem trespassar-lhe a alma, Patch seduz Nora, deixando-a completamente indefesa.
Mas, após uma série de encontros assustadores com Patch, que parece estar sempre onde ela está, Nora não consegue decidir se há de cair-lhe nos braços ou fugir sem deixar rasto.
Em busca de respostas para o momento mais confuso da sua vida, Nora dá consigo no centro de uma antiga batalha entre imortais. E quando é chegada a altura de escolher um rumo, a opção errada poderá custar-lhe a vida.

Rating: 3/5

Comentário: 
Este livro é um livro que me dá duas críticas possíveis a fazer: a positiva e a negativa.
Para começar, gostei do livro porque está muito bem escrito e a história, em si, é muito engraçada e cativante. A escrita é muito simples e não dá para nos perdermos. Como a Ki (Catarina) disse na crítica ao livro Errar é Divino de Marie Phillips: “A escrita de Marie Phillips é leve e simpática e podemos acompanhar a história como um filme na nossa cabeça”.
Em contrapartida, a maior parte dos acontecimentos são totalmente previsíveis, o que tira um pouco a piada ao livro, visto o suspense e aquela cousa que nos faz ficar agarrados a cada página para descobrir o que vai acontecer a seguir não existir. Não sei se é do facto de já ter lido muitos livros dentro do mesmo tema ou se é mesmo culpa da escritora. 
Aparte disso, acho que as duas personagens principais são um cliché enorme. Ela é a jovem vulnerável que não tem consciência da sua beleza e que tem boas notas. Virgem e sem um histórico de relações vai-se logo apaixonar pelo que aparenta ser o “mau da fita” da história. Este jovem acaba de ser transferido para a turma dela, nada cliché, portanto. Nada se sabe sobre o seu passado, veste-se sempre de preto, tem um ar perigoso e só se mete em locais não propícios para adolescentes, como ele. 
Ele, por amores por ela cai, por causa da sua inocência e da sua vulnerabilidade. Ela, por amores por ele cai, evidentemente, porque gosta de sentir o perigo que ele atrai e visto ele transmitir-lhe uma sensação de segurança, simultaneamente. Como podem ver, clichés. 
Acho, portanto, que a escritora podia ter arriscado mais ao criar as características destas personagens, de modo a colocar o leitor perante duas personagens que sejam únicas desta história, e não comuns a várias outras. Relativamente às outras personagens, digamos que fiquei fã da melhor amiga da personagem principal, espero que gostem tanto dela como eu. Acho que retrata bem o que é ser “melhor amiga”. 
Em suma, na minha opinião, se uma história é previsível, então não é “boa”. Mas, como gostei do enredo em si, como me cativei pelas personagens e como a escrita do livro é de tão fácil leitura, acho que o livro merece 3 estrelas em 5. E, se tiver acesso à continuação desta saga, irei ler.

Alexandre.
Sobre o nosso convidado:

Alexandre Borges, composto por todas as letras e todos os sonhos do mundo. Gosta de atingir limites e de os ultrapassar. Atravessa mundos com os livros nas mãos e um sorriso na cara. Sites pessoais, já teve muitos, mas estes são os correntes.

1 leitores reagiram:

  1. Eu queria muito ler este livro...depois já não quis, voltei a meter na pilha e após ter lido umas coisas da autora que me deixaram O.O definitivamente não quero ler...! Autores que não aceitam críticas e descarregam nos pobres dos reviewers. Parece-me um livro super banal e que nada acrescenta a tantos outros semelhantes.

    ResponderEliminar