Mas os maridos das outras não...

Hoje de manhã quando estava a conduzir de retorno a casa, dei por mim a ouvir tocar no rádio a música "Os maridos das outras", música que só descobri recentemente. Descartei a música sem pensar mais nela, até que hoje, depois de a ouvir no carro e entrar nos fóruns literários me apercebi das paixões que os personagens dos livros despertam por vezes nas leitoras. 
Existem neste mundo pessoas verdadeiramente apaixonadas por personagens literários, que gostavam que os seus "maridos" fossem minimamente parecidos com os homens fortes e fogosos dos livros. Afinal até que ponto é perfeito um homem feito de papel e letras? (E tudo os que os homens não, os maridos das outras são...)
Já li posts de raparigas completamente apaixonadas pelo Peeta d'Os Jogos da Fome e pelo Quatro (Four) do Divergente. Estas paixões também se estendem aos homens dos desenhos animados e às personagens das séries, mas parece-me, por vezes que os escritos acabam por suscitar mais atenção.
Lembro-me agora, de discutir com a Cláudia o amor que o Jace tem pela Clary, na saga Caçadores de Sombras. Dizia-me ela que, apesar do Jace ser bastante perturbado, devia ser uma sensação incrível ter alguém a olhar para nós como o Jace olha para a Clary durante um minuto. Facto com o qual tive de concordar. (Tenho de parar de usar a Cláudia nos meus artigos, ou arrisco-me a que ela me processe por difamação do seu bom nome.)
Seja o seu nome St. Calir, Jace, Harry, Iroh, Mako, Four, Peeta, Gale, Ron ou Matthew, a verdade é que estes homens de papel tocam corações por todo o mundo. Questiono-me se os homens reais se sentem ameaçados por eles, ou se acham que estes não passam de uma representação escrita de uma perfeição que jamais será inigualável?
Creio que apesar de terem os seus defeitos, quando são bem escritos, um dos grandes atractivos destes homens de papel é o facto de nós sabermos exactamente o quanto eles amam a personagem feminina do livro. Afinal mesmo que ela tenha dúvidas, nós, como leitores omnipresentes, não as temos. Isso aliado a vários actos heróicos e modestas provas de amor, acabam por cavar um caminho no coração das leitoras, que apenas podem suspirar e sorrir.
Confessem-se caras leitoras, quantas vezes desejaram que um homem de papel e letras fosse real? Será que estes homens de papel e tinta são completamente fictícios, um sonho feminino, ou existem por aí?


Ki
(Catarina)
Sobre a autora:

Bibliófila assumida e escritora de domingo. Gosta de livros e tudo o que esteja relacionado com eles, tem a mania que tem opiniões sobre coisas e gostas de as expor no seu blog conjunto Encruzilhadas Literárias, tem também uma conta no GoodReads e é das melhores coisas que já lhe aconteceu.

2 leitores reagiram:

  1. Olá!
    É a primeira vez que visito o Encruzilhadas e estou a gostar muito. Já estou a seguir! :)
    Acho que qualquer leitora, em determinados livros, acaba por ganhar uma paixão platónica pelo protagonista. E como disseste, essa paixão surge porque sabemos o quanto ele ama a personagem feminina e, além disso, muitas destas personagens tem algumas características que para nós são fundamentais no "homem ideal" (se é que existe um homem ideal..:p).
    Já me aconteceu várias vezes acabar de ler o livro e ainda ficar a pensar nos protagonistas..espero que isso não me aconteça só a mim :p
    Beijinhos e boas leituras!

    ResponderEliminar
  2. Olá Kel!
    Muito obrigada pelas palavras tão amáveis! Fazemos o melhor que podemos neste nosso cantinho! Amamo-lo muito e queremos que os nossos leitores se sintam o mais confortáveis possível aqui.
    Estes homens dos livros e as suas paixões arrebatadoras são algo sem dúvida. Realmente também me questiono por vezes se existirá um homem ideal :/
    E não, não te acontece só a ti, isso te garanto. Uma pessoa fica a pensar neles durante algo tempo eheh
    Beijinhos e boas leituras para ti também! :D

    ResponderEliminar