Opinião: Rubi, de Kerstin Gier

Rubi
O Amor Atravessa Todos os Tempos
de Kerstin Gier
Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 272
Editor: Contraponto
Resumo:
Pertencer a uma família cheia de segredos não é fácil, ou pelo menos é o que pensa Gwendolyn Sheperd, de 16 anos. Até que um dia se vê em Londres do final do século passado e se apercebe de que ela própria é o maior segredo da família.
Do que Gwendolyn não se apercebera é que apaixonar-se quando se está presa num tempo diferente não é nada boa ideia. Tudo se pode complicar...

Rating: 4/5

Comentário: 
Rubi já andava na minha mira há algum tempo mas infelizmente nunca surgira a ocasião de o comprar e quando o vi no catálogo da biblioteca não hesitei em trazê-lo comigo para casa. As quase trezentas páginas que compõem o livro passaram a voar e dei por mim a começar a lê-lo numa noite de sábado e a acabá-lo numa tarde de domingo mesmo a tempo para o chá das cinco.
Contado do ponto de vista de Gwendolyn, que tem uma precessão muito engraçada da realidade, Rubi revela-se um misto de ficção-cientifica e romance com alguma aventura à mistura. Tal como o resumo do livro diz, Gwendolyn vem de uma família cheia de segredos, sendo que ela própria é o maior deles todos, como rapidamente nos apercebemos no primeiro capítulo. Existe na família de Gwen um gene muito especial, um gene que faz com que certos membros da família consigam viajar no tempo.
E talvez a ideia seja tentadora, mas estar num prédio de três andares e saltar no tempo para uma altura em que este ainda não foi feito provocará uma queda de 20m o que já não parece tão agradável. Mas Gwen não está muito preocupada com isso, pois a sorte, ou azar, calhou à sua querida prima Charlotte, treinada desde criança para isto. Infelizmente, como Gwen está prestes a descobrir, as coisas nem sempre correm como planeado.
Algo que achei piada no livro foi a linguagem moderna das personagens e as suas referências a filmes e séries de televisão. Outra coisa que gostaria de elogiar é a tradução, depois de ter apanhado livros mal traduzidos, uma pessoa repara melhor quando uma tradução está bem feita. Na realidade eu tinha uma professora que costumava dizer que se a tradução estava bem feita, então nem daríamos por ela, e no caso de Rubi a tradução é exemplar.
Além de Gwen gostei também bastante da sua melhor amiga Leslie, uma rapariga que parece ser a fã número um de Gwen e da sua família e que sem dúvida parece uma leitora ávida que entrou para dentro de um livro fantástico e quer viver cada segundo do mesmo.
Numa nota afinal, gostaria de dizer que apesar de parte da trama do enredo me parecer óbvia, espero ainda ser surpreendida antes do fim. 
  • Este livro faz parte de uma trilogia;
  • O segundo volume, Safira, foi publicado este ano pela Contraponto.


Ki
(Catarina)
Sobre a autora:

Bibliófila assumida e escritora de domingo. Gosta de livros e tudo o que esteja relacionado com eles, tem a mania que tem opiniões sobre livros e gosta de as expor no seu blog conjunto Encruzilhadas Literárias, tem também uma conta no GoodReads e é das melhores coisas que já lhe aconteceu.

1 leitores reagiram:

  1. Olá :) Deixei-te um selinho em http://paginas-encadernadas.blogspot.pt/2012/09/versatile-blogger-selo.html

    ResponderEliminar