Com uma pechincha nas mãos

Quem me conhece sabe que, apesar de gastar maior parte do meu dinheiro em livros (e ao longe o meu guarda roupa chora...), sou muito picuinhas no quanto pago por eles. Não me considero necessariamente um Tio Patinhas mas, e tendo em conta que não tenho o dinheiro que ele tem, gosto de sentir que estou a pagar o valor correcto pelo livro que tenho em mãos.
Sei que é muito difícil avaliar o valor de um livro, até porque também escrevo e sei a coragem que é precisa e o suor que se escorre para conseguir por vezes uma única linha de jeito numa página A4 mas os livros, em Portugal, são por vezes muito caros.
É por isso que quando vou visitar a minha irmã a Inglaterra gosto de ir de mala vazia para me vingar e comprar livros como deve ser. Perto da universidade da minha irmã há várias lojas chamadas Lojas de Caridade, pertencem a várias instituições, normalmente sem fins lucrativos, que ajudam idosos, doentes crónicos, etc e, para não fazerem peditório directo, aceitam doações de livros, jóias fantasia, roupa, loiça entre outros que depois revendem com um valor simbólico.
A minha perdição nestas lojas são os livros, porque vão desde os 0,49p às 2£ (mais ou menos dos 57c aos 2,20€) e por vezes fazem-se verdadeiros achados no meio de livros que ninguém quer. A minha colecção da História Horrível está a fazer-se livro a livro, também encontro grandes clássicos e por vezes livros recentemente editados em Portugal (que como tiveram de ser traduzidos normalmente já foram lançados há mais tempo no estrangeiro).
Da última vez que visitei estas lojas dei por mim com uma cópia do A Culpa é das Estrelas de John Green nas mãos. Como imaginam o mesmo não ficou na prateleira a ganhar pó e assim como não ficou ele, não ficaram também outros livros, oito no total, pelos quais paguei pouco mais de cinco euros. Se me perguntarem se fiquei com a minha compra direi que sim apesar de ter noção que o valor é ridiculamente baixo e que as editoras e os autores não podem viver destes preços.
Talvez seja a grande fraqueza da minha alma, não resisto a um livro a baixo preço (que queira ler claro, não compro qualquer coisa só porque está barata) mas ao mesmo tempo sinto-me um pouquinho culpada. E vocês Encruzilhados, qual é a vossa opinião nesta matéria? Acham os livros muito caros ou nem por isso? Que pensam das trocas/compra de livros usados a baixo custo?


Ki
(Catarina)
Sobre a autora:

Bibliófila assumida e escritora de domingo. Gosta de livros e tudo o que esteja relacionado com eles, tem a mania que tem opiniões sobre coisas e gosta de as expor no seu blog conjunto Encruzilhadas Literárias, tem também uma conta no GoodReads e é das melhores coisas que já lhe aconteceu.

1 leitores reagiram: