Opinião: A Little Princess, de Frances Hodgson Burnett

A Little Princess
de Frances Hodgson Burnett
Edição/reimpressão: 2007
Páginas: 256
Editor: PENGUIN BOOKS LTD
Resumo:
Sara Crewe, uma jovem excepcional, inteligente e imaginativa é uma estudante interna na Miss Minchin's Select Seminary for Young Ladies, quando descobre que o seu adoro e indulgente pai faleceu. Sem dinheiro para pagar as propinas e sem família que tome conta dela, Sara vê-se banida para um quarto no sótão e é obrigada a trabalhar para pagar a sua estadia e comida. Sara é desprezada, abusada e forçada a trabalhar como escrava e para se manter viva decide criar um jogo onde imagina que apesar de todas as provações ela continua a ser uma princesa...

Rating: 3.5 estrelas

Comentário: 
O ano passado em Fevereiro encontrei, na secção de cinema infantil, um filme chamado A Little Princess que me chamou a atenção por me ser totalmente desconhecido. Uma rápida leitura informou-me que o filme tinha era de 1995 e era um remake de um muito mais antigo. Curiosa fui em busca de mais dados e descobri que ambos dos filmes eram baseados no livro homónimo de Frances Hodgson Burnett, a autora do livro O Jardim Secreto, e que tinha sido publicado em 1888. Descobri também que este livro se tornara rapidamente um clássico infantil e um livro de referência.
Por isso, quando um ano depois, tive tempo para finalmente ver o filme que apreciei bastante decidi em seguida, apesar de estar receosa, ler o livro. Enquanto descobria se o deveria requisitar ou comprar, descobri que, para minha sorte, o livro já era do domínio público e podem encontrá-lo legalmente e gratuitamente para download no Projecto Gutenberg (em inglês).
Em seguida, tive apenas que arranjar umas horas aqui e ali para ler esta história. E que posso eu dizer sobre esta história? Posso dizer que Sara Crew é uma personagem sem dúvida cativante e avançada para a sua idade. Posso dizer que ela é uma alma velha num corpo jovem e uma rapariga inteligente sem no entanto ser presunçosa.
Sara vive com o seu amado, jovem e rico pai na Índia até aos sete anos, idade em que o Capitão Crew decide que Sara tem de ir para uma escola em Inglaterra onde terá de ficar alguns anos para complementar a sua educação antes de regressar à Índia onde passará o resto da sua vida.
A história começa exactamente no instante em que o pai a está a deixar na escola e desde as primeiras páginas nos apercebemos da maturidade de Sara. Desde a primeira comparação entre as cadeiras rígidas e a personalidade severa de Miss Minchin que nos apercebemos que Sara tem uma certa sensibilidade que a destaca das outras personagens. Quando o pai a deixa Sara não chora, dizendo a si mesma, que os soldados que estão na guerra sem dúvida que sofrem horrores piores e que ela voltará a ver o seu pai em breve e lhe poderá escrever todos os dias. Este tipo de pensamento, esta imaginação e maneira de ver a vida é que o irá manter Sara viva quando o pior acontece.
A cena em que Sara recebe a notícia do súbito falecimento do seu pai é de quebrar qualquer coração. Não só pela dureza de tudo como pela sua reacção e a sua decisão em continuar a ser forte e uma princesa de atitudes e coração. Afinal sem familiares próximos e sem um único centavo em seu nome, Sara vê-se renegada para o sótão e vestida de andrajos, um pouco como a Gata Borralheira e mesmo assim nunca perde a sua compostura mantendo sempre a sua "madrasta" em cheque.
Creio que este livro possuí uma mensagem poderosa sobre a dignidade e sobre as decisões que tomamos perante as adversidades. É um livro que fala sobre a auto-descoberta dos nossos limites e que nos fala de como a bondade e a humildade podem ser encontradas dentro de todas as pessoas. É um livro que só não leva 4 estrelas porque é por vezes complicado de ler, creio que o facto de termos 125 anos entre nós não facilita o processo e porque tem aquele sabor dos clássicos nos quais parece que lemos páginas e páginas e páginas e na realidade ainda só lemos duas ou três.
Um livro que sem dúvida recomendo para quem gosta de clássicos infanto-juvenis. Para terminar deixo-vos a minha frase preferida do filme, e que apesar de não aparecer desta forma no livro é bastante poderosa.

  • A Little Princess ainda não está disponível em português;
  • Entre os outros livros da autora podemos encontrar O Jardim Secreto e O Pequeno Lorde (ambos disponíveis em português, pela Relógio d'Água e pela Oficina do Livro respectivamente)

Booktrailer:

1 leitores reagiram: