Opinião: The Ocean At The End Of The Lane, de Neil Gaiman

The Ocean At The End Of The Lane
de Neil Gaiman
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 256
Editor: Headline Publishing Group
Resumo:
It began for our narrator forty years ago when the family lodger stole their car and committed suicide in it, stirring up ancient powers best left undisturbed. Dark creatures from beyond the world are on the loose, and it will take everything our narrator has just to stay alive: there is primal horror here, and menace unleashed - within his family and from the forces that have gathered to destroy it.
His only defense is three women, on a farm at the end of the lane. The youngest of them claims that her duckpond is ocean. The oldest can remember the Big Bang.


Rating: 4/5

Comentário:
A minha relação com a escrita de Neil Gaiman nem sempre é das mais fáceis. O facto é que este é um daqueles autores que tem livros que amo e livros que odeio, livros que me fazem sentido e livros que simplesmente não consigo perceber.
Quando ouvi falar do seu novo livro The Ocean at the End of the Lane fiquei um pouco reticente sobre se valeria a pena a sua leitura ou não. A imagem da capa era líndissima e apesar de um livro não se fazer pela capa, se esta chamar a atenção iremos ler o resumo.
Foi o que aconteceu, curiosa devido à capa, fui em busca do resumo deste novo livro e assim que o li a semente da curiosidade nasceu em mim. Como puderam ler no resumo, este é algo misterioso, três mulheres sozinhas numa quinta, a mais nova diz que o seu lago é o oceano, mas as crianças são imaginativas e eu sorri ao ler isto, e a mais velha lembra-se do Big Bang, a minha sobrancelha arqueou e um alarme disparou na minha mente. Este género de magia é o que me atraí na escrita de Gaiman e esperei impaciente pela saída do livro.
A história é bastante interessante e movimentada, o livro é pequeno tem pouco mais de 180 páginas, mas é um livro que nos fala da infância e de magia. É um livro um pouco saudoso, principalmente para pessoas que como o personagem principal liam muito quando eram novas e que, como eu, leram todos os livros de infância das suas mães.
O nosso heroí, como todos os heróis, tem uma vida normal até que um dia um suicídio muda tudo e a família Hempsock é “chamada” a intrevir.
A propriedade, casa e a própria família Hempsock têm um certo misticismo à sua volta e uma certa magia que parece ser uma fusão de impossíveis e imaginação infantil. Mas creio que é esta fusão que alimenta o mistério da história e nos leva a querer descobrir mais e mais.
A escrita de Gaiman é cativante e dei por mim acordada até tarde para acabar o livro e tentar fazer sentido de tudo o que aconteceu.
É um livro que nos deixa a chorar por mais e que tive pena que acabasse. No entanto creio que para a magia se manter se tornou necessário o livro acabar num momento em que ainda está tudo difuso.
Um livro que recomendo e que saí daqui com quatro estrelas pela sua beleza.

0 leitores reagiram:

Que pensam Encruzilhad@s?