Opinião: Departamento 19, de Will Hill




Departamento 19
de Will Hill

Edição/reimpressão: 2013
Páginas:416
Editor: TopSeller




 Resumo: Jamie Carpenter tem 16 anos e perdeu o pai há pouco tempo. No mesmo dia em que descobre que a sua mãe foi raptada por um vampiro, é salvo por uma criatura gigante que diz chamar-se Frankenstein e que o leva para o Departamento 19, a agência supersecreta do governo. Conhecida também por Luz Negra, esta agência foi fundada há mais de um século por Van Helsing e outros sobreviventes de Drácula para combater as forças do sobrenatural. Com a ajuda da agência, de Frankenstein e de uma jovem vampira por quem se apaixona, Jamie vai fazer tudo para salvar a sua mãe, mesmo sabendo que terá de enfrentar um exército de vampiros sedentos de violência, sangue e destruição.
Rating: 4/5

Opinião:  Se a Catarina é a embaixadora do James Patterson no Encruzilhadas Literárias, então eu vou tornar-me na embaixadora do Will Hill!!

 Escrever livros com vampiros na actualidade é um desafio dificilmente rebatido, pelo que exige uma composição certa, que englobe a dose necessária de inovação e acção. Mais do que isso, há a necessidade de fugir ao clichê do que já foi criado pelas últimas histórias e livros para jovens adultos que surgiram em volta da temática nos últimos 10 anos. Will Hill traz-nos uma boa dose de mistura entre os mais clássicos vampiros da história, com a modernidade que só um livro de adolescentes poderia ter (fazendo valer às suas raízes e histórias geracionais o poder das novas tecnologias e do mundo que avança à pressão do momento). Para quem gosta de filmes do género, acho que este livro se enquadra perfeitamente na mesma paginação do Van Helsing e do Hell Boy, com um ligeiro toque mais juvenil, apelando a uma conjugação de acção e mistério com as crises da adolescência.
Jamie Carpenter é um rapaz que não tem lidado bem com alguns factos do seu passado mais recente, o que contribui para o seu afastamento do resto da sociedade e preocupação constante da mãe. Nada mais natural em um adolescente, não fosse o facto de Jamie não ser um rapaz normal....ainda que não o saiba.
É quando se depara com novas questões de uma realidade submersa que se apercebe do quanto não sabe da própria vida e da sua história familiar. Lidar com isso será sempre mais complicado do que parece, perante o questionamento do encaixe de uma realidade fantasista com as verdades sublimes e sólidas que julgou conhecer até então. Será preciso uma dose de coragem constante para vencer o desconhecido, e descobrir novas partes de si mesmo, à medida que acompanha as mudanças constantes do mundo, que ultimamente parece transformar-se à velocidade da luz.
 Adorei os flashbacks, compuseram a acção com uma certa dose de classe e originalidade que tornaram o livro mais interessante.  É um livro cheio de acção, ainda que com uma ou outra cena mal conduzida, mas que são facilmente contornadas pelo restante enredo.
As novas componentes encaixam bem na ideia que o autor pretendeu criar, sem soar forçado, o que por si só já não era muito fácil. Ainda assim, a história é simples, diverte, faz-nos ficar em alerta até ao fim e quero muito ler os próximos livros!! Fico só com pena que o principal factor de suspense tenha sido facilmente desvendado por mim, pelo que queria ali uma reviravolta que acabou por não aparecer.
Para quem gosta de livros com acção, e que aliem o sobrenatural a tecnologia de ponta, o Departamento 19 é para vocês!


Cláudia
Sobre a autora:
 
Maratonista de bibliotecas e bookcrossing, a Cláudia ainda consegue estudar e fazer o seu mestrado enquanto lê nos transportes públicos. Defensora da sustentabilidade e do voluntariado é tão fácil encontrá-la numa biblioteca como na Rota Jovem em Cascais. É uma sonhadora e gosta de boas histórias, procurando-as em cada experiência que vive.

0 leitores reagiram:

Que pensam Encruzilhad@s?