Opinião "O Diabo dos Anjos", de Liliana Lavado


O Diabo dos Anjos

O Diabo dos Anjos
de Liliana C. Lavado

 Edição/reimpressão: Ainda não publicado
Páginas: 288
Editor: /







Resumo: Amigos de infância, Henrique e Amanda nada têm em comum para além de uma paixão por livros e uma amizade que ambos já deram como perdida.
Depois de vários anos de silêncio, ele é um estudante finalista de Literatura Inglesa que olha com receio os dias fora das paredes seguras da Universidade e ela uma aspirante a escritora que se esvanece no tumultuo de um grupo de amigos problemático.
 
Numa viagem a Itália que tem tudo para ser perfeita, um Livro transforma-se num desastre que traz anjos à Terra, um gato com estranho senso de humor, novas dores de cabeça a Henrique e mais loucura a Amanda.
A inesperada aventura volta a juntar-lhes o caminho para uma missão celestial que é apenas o início dos problemas para ambos.

Henrique e Amanda podem ter encontrado um no outro o pretexto que tanto procuravam para adiar decisões e contornar o futuro, mas em troca, recebem também o que não pediram e aprendem que o futuro é inevitável.
Rating: 3/5

Opinião: 
 Não sei se já ouviram falar do projecto Leitores-Beta da Liliana C. Lavado, autora de “Inverno de Sombras” (podem comprá-lo na Editora Marcador ou no site da Editorial Presença). Há uns meses, a autora disponibilizou uma versão ainda não final alguns livros seus para um conjunto de leitores selecionados, que ficaram responsáveis por lhe dar uma opinião o mais sincera e isenta possível, fazendo com que o primeiro impacto junto de um leque de leitores variado lhe desse o feedback necessário para corrigir uma coisa ou outra  necessitar de ser afinada antes de serem publicados.
 

No mês passado surgiu a segunda fase deste projeto, quando a Liliana propôs que os interessados se candidatassem a uma segunda leitura do livro “O Diabo dos Anjos”, antes de seguir para a editora. Claro que tive de me candidatar, entusiasticamente, e felizmente fui aceite. Deixo deste modo a minha opinião, fazendo saber que o livro lido ainda poderá estar sujeito a alterações e a opinião remete-se apenas para a data actual.

“O Diabo dos Anjos” foi uma surpresa. Não sei ao certo o que esperava quando li a sinopse, mas não era bem isto. E gosto de ser agradavelmente surpreendida, pelo que este é um ponto a favor. Como personagens principais temos Amanda e Henrique, que nos trarão uma série de camadas para compor um puzzle complexo de relações humanas, acções perdidas, e arrependimentos guardados dentro de si durante anos. A eles juntar-se-ão outras tantas personagens que irão compor um enredo que nos faz querer saber mais. 

Na verdade, para mim, mais do que a grande temática, as personagens são o ponto forte do livro. E ainda mais as secundárias do que as principais. Não se enganem, que elas trazem muito à história, mas mais do que simpatizar com elas, por vezes queremos identificar-nos, ou reconhecer pessoas que fazem parte das nossas vidas em partes de outras criadas no papel. E isso aconteceu-me mais rapidamente com algumas delas.

Gosto do Pedro e da relação dele com Henrique, a camaradagem é bem visível e só fiquei com pena de ainda não passarmos mais tempo com eles. É divertido, carismático e com sentido de humor. Já Bia tem aquela tendência sarcástica de dizer tudo o que quer, e que nem sempre todos percebem, o que só demonstra o grau de inteligência nas escolhas que faz. Ri-me por vezes com algumas coisas que ela dizia. É impossível ficar mal disposta quando ela aparece.

Pelo facto de todo o quadro estar composto, este livro quase que nem precisava da fantasia urbana, mas sendo essa a temática principal, temos de abordá-la. Esperava algo mais complicado neste campo, ou que me obrigasse a não querer largar o livro atendendo ao nível de suspense e de acção. Embora tenha achado a leitura agradável, não o senti dessa forma, pelo que acho que falta algum trabalho na conexão dos dois mundos: o dito normal e o sobrenatural. 

Ainda assim, gosto da forma da Liliana escrever. É actual, identificamo-nos com espaços que não conhecemos e com realidades não vividas, mas que em parte são parecidas à nossa ou à de tantos outros que conhecemos. É bom sentirmo-nos parte de um livro e não meros leitores, pelo que ela está de parabéns por isso. O humor e os momentos dramáticos tiveram o seu peso e medida e foi impossível ficar indiferente ao desfecho das últimas 20 páginas, onde uma série de eventos encadeados e alucinantes desvendou um cenário que não achámos possível.

Esperemos pela revisão final e pelo seu lançamento!



Cláudia
Sobre a autora:
 
Maratonista de bibliotecas e bookcrossing, a Cláudia ainda consegue estudar e fazer o seu mestrado enquanto lê nos transportes públicos. Defensora da sustentabilidade e do voluntariado é tão fácil encontrá-la numa biblioteca como na Rota Jovem em Cascais. É uma sonhadora e gosta de boas histórias, procurando-as em cada experiência que vive.

0 leitores reagiram:

Que pensam Encruzilhad@s?