Últimas palavras de escritores famosos

Quando lemos livros há sempre uma outra frase que nos fica na memória. Os escritores lutam diariamente para criar mundos através das suas palavras e são estas as palavras que recordamos dele. Mas já pensaram no que alguns dele terão dito antes de morrer?
Navegando pela internet encontramos um artigo que nos revelou as últimas palavras de vinte e cinco escritores famosos, de Hemingway a Austen, de Twain a Wells, sigam-nos para verem com que palavras deixaram eles este mundo.
  1. Ernest Hemingway: “Boa noite minha gatinha." - palavras dita à sua esposa antes de se matar. 
  2. Jane Austen: “Não quero nada a não ser a morte.” foi a resposta da autora à pergunta da sua irmã Cassandra sobre se ela precisava de algo.
  3. J.M Barrie: “Não consigo dormir.”
  4. L. Frank Baum: “Agora posso atravessar as areias movediças.”
  5. Edgar Allan Poe: “Que o Senhor ajude a minha pobre alma.”
  6. Thomas Hobbes: “Estou prestes a empreender a minha última viagem, um grande salto no escuro.”
  7. Alfred Jarry: “Estou a morrer... por favor, tragam-me um palito.”
  8. Hunter S. Thompson: “Relaxa — isto não vai dor.”
  9. Henrik Ibsen: “Por outro lado!”
  10. Anton Chekhov: “Há muito tempo que não tomo champanhe.”
  11. Mark Twain: “Adeus. E se nos encontrar-mos...” foram as palavras que o autor dirigiu à sua filha Clara.
  12. Louisa May Alcott: “Não é meningite?”. A escritora acreditava que tinha meningite, no entanto não era esse o caso, morreu de envenenamento por mercúrio.
  13. Jean Cocteau: “Desde o dia do meu nascimento, que a minha morte começou a sua caminhada. Caminha para mim sem pressa.”
  14. Washington Irving: “Tenho de arranjar as minhas almofadas mais uma noite, quando é que isto acaba de vez?”
  15. Leo Tolstoy: “Mas os camponeses…como é que os camponeses morrem?”
  16. Hans Christian Andersen: “Não me perguntem como sou! Já não percebo nada.”
  17. Charles Dickens: “No chão!”. O escritor sofreu um ataque cardíaco no exterior da sua casa e pediu que o deitassem no chão.
  18. H.G. Wells: “Daqui para fora! Estou bem.” O escritor não sabia que estava a morrer.
  19. Johann Wolfgang von Goethe: “Mais luz.”
  20. W.C. Fields: “Raios partam este mundo filho da mãe e todos nele, menos tu Carlotta!” “Carlotta” era a amante do escritor.
  21. Voltaire: “Então, então meu bom homem, agora não é a altura de fazer inimigos.” Foi a resposta do escritor quando o padre lhe perguntou se renegava Satanás. 
  22. Dylan Thomas: “Bebi 18 whiskies de seguida…Acho que é um recorde.”
  23. George Bernard Shaw: “Morrer é fácil, comédia é difícil.”
  24. Henry David Thoreau: “Moose…Indian.”
  25. James Joyce: “Será que ninguém entende?”

1 leitores reagiram:

  1. Oi!
    Nossa, até na hora de morrer eles conseguem impressionar! E a quanta gente aí morrendo em silêncio ou aos gritos. Isso é que é morrer com estilo! Mesmo com muita criatividade, acho que não teria tal capacidade!

    Beijusss;
    http://hipercriativa.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar