A morte da leitura por gosto

Um estudo recente, revelado pelo jornal The Guardian em Julho deste ano, dá a conhecer uma verdade aterradora a todos os amantes da leitura. A vida moderna, com os seus horários apressados e cortes em orçamentos, está a matar a leitura por gosto e o seu alvo principal são as crianças.
O estudo revelou que após as crianças começarem a ler sozinhas, aos sete/oito anos, a maioria dos pais, 98%, pára de ler histórias aos filhos esperando que estes o façam por si. 
E se esta situação não é negra por si, 82% dos professores no Reino Unido queixa-se que devido às novas políticas os alunos vêem menos do seu tempo na sala de aula dedicado à leitura por gosto. Esta leitura que normalmente é aliciada pelos professores ao divulgarem vários tipos de livros e géneros literários, está a ser afectada por cortes no orçamento e no tempo que os professores podem dedicar aos livros nas salas de aula.
Outra situação que preocupa os professores é a quantidade de tempo que as crianças passam em frente a ecrãs, quer os mesmos sejam de televisão ou tablets, e que acaba por roubar tempo que poderia estar a ser gasto na leitura. A CBeebies, o cana infantil da BBC, diz que o número de acessos ao seu site feito atrás de tablets aumentou exponencialmente. A empresa diz que telemóveis com ecrãs táteis e tablets são bastante intuitivos para crianças e que as mesmas mexem nos mesmos com imensa facilidade. Na realidade o canal imagina que em 2018, as crianças acederão aos seus programas tanto via televisão como via tablet, o que obrigará a toda uma reformulação os programas e do site.
O fácil acesso a programas de animação e a falta de incentivo à leitura, junta-se num bolo amargo que afasta as crianças dos livros. Numa realidade em que apenas 2% dos pais lê aos seus filhos, com idade superior a sete anos, não é difícil imaginar que a percentagem de leitores por gosto de idade adulta poderá vir abaixar exponencialmente.



Ki
(Catarina)
Sobre a autora:

Bibliófila assumida e escritora de domingo. Gosta de livros e tudo o que esteja relacionado com eles, tem a mania que tem opiniões sobre coisas e gosta de as expor no seu blog conjunto Encruzilhadas Literárias, tem também uma conta no GoodReads e é das melhores coisas que já lhe aconteceu.

1 leitores reagiram:

  1. Particularmente não acredito que crianças leitoras irão se tornar adultos leitores. Acho isso uma tentativa de sistematizar algo que não é possível de ser sistematizado. Além disso existem as questões culturais e circunstanciais. Em um país onde os livros são censurados, as pessoas procurarão os livros como forma de resistência. Culturas orais e visuais, como é o caso da brasileira, tendem a enxergar o livro como algo desinteressante por natureza. Sobre a questão da televisão e dos tablets, bem, tudo cansa. O que quero dizer é, toda reforma traz em si a sua contra-reforma. A próxima geração provavelmente terá um comportamento diferente desta geração que prefere o simulacro do mundo virtual a realidade palpável. A contra-reforma virá, é inevitável.

    ResponderEliminar