Opinião: Fortunately, The Milk , de Neil Gaiman

Fortunately, The Milk ...
de Neil Gaiman; ilustração de Chris Riddell/ Skottie Young
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 160
Editor: BLOOMSBURY PUBLISHING PLC
Resumo:
"I bought the milk," said my father. "I walked out of the corner shop, and heard a noise like this: T h u m m t h u m m. I looked up and saw a huge silver disc hovering in the air above Marshall Road."

"Hullo," I said to myself. "That's not something you see every day. And then something odd happened."

Find out just how odd things get in this hilarious story of time travel and breakfast cereal, expertly told by Newbery Medalist and bestselling author Neil Gaiman and illustrated by Skottie Young

Rating: 4/5

Comentário: 
Fortunatly The Milk é o novo livro infantil de Neil Gaiman, que este ano se conseguiu redimir aos meus olhos. Apesar de gostar de algumas das obras do autor e estar curiosa em relação a outras, a verdade é que antes de ter lido The Ocean at the End of the Lane este verão os últimos livros que tinha lido do autor não tinham sido do meu agrado.
Contudo, após ter lido o The Ocean at the End of the Lane a minha fé no autor foi restaurada e quando soube que ele iria lançar em Setembro Fortunatly the Milk, uma história infanto-juvenil fiquei imensamente curiosa para a ler. As capas, tanto a britânica como americana eram engraçadas e toda a premissa do livro prometia aventuras. Devo confessar que apesar de tudo, gosto mais das ilustrações de Skottie Young, a ilustradora da versão americana. Há algo nas suas personagens que me lembra um pouco da animação Coraline, baseada numa obra também de Neil Gaiman, e que ajuda a criar uma certa sensação de continuidade.
A história é genial e parte de uma simples ideia: um pai que vai à mercearia comprar leite e que, por demorar eternidades a voltar, tem de se justificar aos filhos que esperavam pelo leite para tomarem os seus cereais. Ironicamente fiquei sem leite em casa no dia em que li este livro, por isso consegui sentir na pele o problema dos nossos pequenos heróis.
Encurralado pelos filhos, que querem à força toda saber o porquê da demora, o pai tenta, por entre balões dirigidos por dinossauros, piratas e wampiros justificar-se. É engraçado ver que as crianças, em vez de apontarem o dedo ao pai e o acusarem de mentir com quantos dentes tem na boca, apontam apenas para os buracos que o mesmo tem na narrativa. Por exemplo, a determinada altura o pai diz que ia saltar para um oceano infestado de tubarões e piranhas e a filha contesta que as piranhas são peixes de água doce e que não poderiam estar no mar.
É engraçado ver como as crianças autorizam que o pai as engane e entram na narrativa com correcções, perguntas e exclamações. A história é engraçada e de certeza que fará eco com certas alturas na nossa infância em que os nossos pais nos "tentaram" enganar com histórias que eram tão ridículas que sabíamos perfeitamente que não podiam ser reais.
Este foi um livro que apreciei bastante e que fiquei triste por ter arranjado em ebook, sem dúvida que irei comprar uma cópia física para a minha biblioteca. Saí das minhas mãos com 4 estrelas e o nosso selo de recomendação.

0 leitores reagiram:

Que pensam Encruzilhad@s?