Entrevista: Lauren Oliver + Passatempo


Olá olá,

Como já devem ter reparado, Laurem Oliver é uma autora que seguimos com frequência. Um dos primeiros livros lidos da autora foi Delirium, no ano de 2011, e já comentado no Encruzilhadas Literárias. Deste então, várias shorts e livros da autora já foram comentados por nós, tanto pela Catarina como pela Cláudia.

Apesar de ainda não existirem muitos fãs da trilogia iniciada com Delirium, começam aos poucos a juntarem-se. Foi desta forma que conhecemos a página Delirium Portugal, com a qual vos trazemos hoje uma iniciativa especial: Uma entrevista com a autora + Passatempo Delirium

Lauren Oliver é uma escritora-norte americana nascida em Nova Iorque e autora do best-seller Delirium que está a ser transformado numa série de tv pela FOX. O seu primeiro livro a ser editado foi Antes de vos Deixar e já pode ser lido em português através da Editorial Presença
Além da trilogia Delirium, é também autora de alguns livros infantis, p.e. Liesl and Po. É provável que esteja de momento a trabalhar num novo projecto mas ainda não se sabem detalhes.

1 - Onde se inspirou para escrever uma história sobre o amor ser uma doença?
Estava a ver uma reportagem na televisão sobre o H1N1 (gripe suína) e pus-me a imaginar como as pessoas reagiriam se o Governo decretasse que o amor era uma doença mortal e contagiosa.

2 - Apesar desta trilogia ser dirigida a um público jovem contém várias mensagens (quase que lições) de vida. Acha que o facto de estar na secção young adult (juvenil), e da maior parte das personagens serem adolescentes, está a afastar audiências mais velhas dos seus livros? 
Espero que não! Recebo imensos e-mails de leitores mais velhos, por isso penso que a atitude das pessoas em relação ao género young adult está a mudar. Afinal, eu também sou uma grande fã dele!

3 - Alguns dos fãs dos livros ficaram um pouco desapontados com as alterações feitas para o primeiro episódio da série de tv. Sabemos que já falou sobre isto antes, mas não tem receio que as pessoas que não leram os seus livros não percebam a verdadeira essência da história da Lena?
Creio que é importante recordar que a série de tv é uma interpretação do livro e não uma adaptação literal do mesmo. Ao ter liberdade de se afastar do enredo [dos livros], acredito que a série poderá explorar mais temas do livro, "a essência" como dizem.

4 - O que está a ler de momento? Aconselharia-nos a ler?
[O livro] Truth or Dare  de Jacqueline Green vai ser lançado a 14 de Maio e é uma leitura fantástica! Muito assustadora e divertida.

5 - A trilogia Delirium ainda não foi lançada em português. Por isso, a maior parte dos portugueses ainda não têm conhecimento da sua existência. Pode dar-nos duas razões pelas quais os portugueses deviam adquirir uma cópia [em inglês] do livro?
1) Se gostam de romance.
2) Se gostam dos romances que tem uma boa dose de acção e aventura! 

Acham que estas são boas razões, Encruzilhados? Se acham que sim, então não percam a oportunidade de adquirir o vosso exemplar!
Em parceria com a página Delirium Portugal temos uma cópia da edição inglesa para oferecer! Para participar basta terem uma conta no facebook e seguirem as regras apresentadas na imagem (cliquem aqui para irem para a mesma.)

Passatempo: "Do Céu, Com Amor", de Michelle Holman


Olá Encruzilhados,

Para celebrar o Dia da Mãe, temos um livrinho especial para oferecer às vossas mães (ou para concorrerem com esse pretexto e que fique para vocês ;) ), e que homenageia todo o trabalho que elas têm sempre connosco. Como parceira temos a Editora Quinta Essência, que nos disponibilizou um exemplar de Do Céu, Com Amor de Michelle Holman.

Este livro estará em sorteio entre 29 de Abril e 6 de Maio, e para se habilitarem ao mesmo terão de responder ao já conhecido questionário.
Não se esqueçam de rever as regras e boa sorte!

Podem encontrar as respostas aqui.

REGRAS:
1) O passatempo decorre até às 23h59 do dia 6 de Maio de 2013.
2) Todos os dados solicitados devem ser devidamente preenchidos e completos.
3) Só serão aceites uma participação por pessoa e morada, em todo o território português (Portugal continental e ilhas).
4) O/A vencedor/a será sorteado de forma aleatória (random.org), sendo o resultado anunciado na página do blog e o contacto efectuado por e-mail.
5) O Encruzilhadas Literárias e/ou a Editora não se responsabilizam pelo extravio ou danos causados pelos CTT no exemplar enviado.

Prémio Literário da Blogosfera 2012 - Actualização

Aqui há uns meses publicámos informação sobre este projecto, em que o Encruzilhadas Literárias participa. Após a fase de votações de todos os Blogs inscritos na edição deste ano, deu-se início à fase de análise dos 3 mais votados em cada categoria, para que seja por fim selecionado o vencedor do ano. Da nossa parte, o Encruzilhas é de momento júri da categoria de Romance Histórico, pelo que divulgamos aqui os livros em avaliação até ao final do mês de Maio:


Procurem a Página do Facebook e o Blog do Prémio Literário da Blogosfera para se irem mantendo actualizados. O link está na barra lateral do nosso Blog. 

 

Cláudia
Sobre a autora:
 
Maratonista de bibliotecas e bookcrossing, a Cláudia ainda consegue estudar e fazer o seu mestrado enquanto lê nos transportes públicos. Defensora da sustentabilidade e do voluntariado é tão fácil encontrá-la numa biblioteca como na Rota Jovem em Cascais. É uma sonhadora e gosta de boas histórias, procurando-as em cada experiência que vive.



Opinião: São Todos os meus Preferidos, de Sam McBratney

São Todos os meus Preferidos
de Sam McBratney com ilustrações de Anita Jeram
Edição/reimpressão: 2009
Páginas: 36
Editor: Editorial Caminho
Resumo:
Era uma vez uma Mamã Ursa e um Papá Urso que diziam aos seus três bebés ursos que eram os ursinhos mais lindos do mundo inteiro. Mas um dia os três bebés ursos puseram-se a pensar de qual é que a mãe e o pai gostavam mais. Não podiam ser todos o preferido... ou podiam?
Dos autores do grande êxito Adivinha Quanto Eu Gosto de Ti, uma nova história muitíssimo especial!

Rating: 4/5

Comentário: 
Desde pequena que leio, creio que a culpa disto deve ser embutida à minha mãe que sempre fez questão que eu tivesse bons livros para ler. Quer fosse A inveja da Xuxu ou um livro da Anita a minha mãe soube fazer a minha biblioteca de maneira a cativar-me e a "obrigar-me" a voltar para ler mais e mais.
A minha paixão por livros cresceu e quem nos segue sabe que gosto de comentar livros infantis que acho que poderão ser importantes para o desenvolvimento das crianças que os lêem (ou a quem os livros são lidos). Quando reparei que este livro estava na lista dos 20 Livros Infantis imprescindíveis a ter na biblioteca do seu filho da Imaginarium fiquei bastante surpresa porque não sabia que existia em português (eu li e tenho a versão inglesa) e decidi que mais pessoas deveriam saber da sua existência.
Sam McBratney é conhecido pelo seu livro Adivinha Quanto Eu Gosto de Ti mas eu creio que São Todos os meus Preferidos é sem dúvida o melhor dos dois livros. Talvez por o primeiro ter uma mensagem que é mais comum de encontrar que é a do amor infinito que o pai/mãe tem pelo seu rebento mas este livro acaba por ir mais fundo.
Nele temos três irmãos, todos ursinhos e maravilhosamente desenhados por Anita Jeram, que ouvem os seus pais dizer que eles são os mais lindos do mundo. E até aí tudo muito bem mas, de certeza, que havia um deles que os pais gostavam mais. 
A Ursinha acha que os seus pais devem gostar mais dos irmãos por serem meninos, os Ursinhos por seu lado acham que os pais devem gostar mais da Ursinha por ser a única menina.O mais velho acha que os pais devem gostar do mais pequeno e o mais pequeno que os pais devem gostar do mais velho. A história acaba por ser bem contada por jogar com todas as inseguranças infantis, afinal, parece que todos os irmãos tem um trunfo uns sobre os outros. Mas quem terá o trunfo maior?
Claro que nenhum porque os pais gostam deles por igual e apesar desta ser uma mensagem já conhecida e repetida imensas vezes, às vezes lê-la, ou ouvir os nossos pais a lê-la numa história, pode ser o suficiente para lhe dar dimensão e transportar a sua mensagem para a realidade. Quantas vezes nos disseram a mesma coisa vezes sem conta e só quando, finalmente, ouvimos a pessoa certa a dizê-la percebemos o que nos queriam dizer ou acreditamos no que nos queriam dizer?
Para além da história ser querida e transmitir uma mensagem importante, o livro também está maravilhosamente ilustrado por Anita Jeram, o que sem dúvida contribui para uma melhor experiência de leitura.
E para terminar deixo-vos aqui a primeira página deste fantástico livro que sem dúvida deve estar presente nas estantes de todos os rebentos.

Novidades Maio: Quinta Essência

Perfume de Jasmim
de Jude Deveraux
Resumo:
Charleston, 1799: Catherine Edilean Harcourt não tem falta de pretendentes na Virginia, e espera realizar o seu sonho de casar e ter uma família. Mas o espírito aventureiro do Cay é despertado ao visitar o seu padrinho na Carolina do Sul. Acamado com uma perna partida, ele pede a Cay que o substitua numa missão urgente: a caminho de um baile de máscaras, ela deve entregar um cavalo selado ao filho de um velho amigo… que por acaso também é um fugitivo acusado de assassinar a mulher! Cay concorda com o plano, que não corre nada como planeado... e encontra-se em fuga com Alexander McDowell. Embora devesse temê-lo, Cay sente-se atraída para Alex e convence-se da sua inocência enquanto procuram refúgio nos Everglades da Florida. Será que confiar nele vai ser o pior erro da sua vida? Ou apaixonarem-se será a salvação que ambos procuravam? Com Perfume de Jasmim Jude Deveraux continua a série centrada em Edilean, que teve início com Jardim de Alfazema, Perfume da Paixão, Dias de Ouro e Desejos do Coração. A cidade de Edilean, na Virginia, tem sido palco de várias histórias… venha conhecer a de Cay Edilean Harcourt e de Alexander McDowell.  

Anna e o Beijo Francês
de Stephanie Perkins
Resumo:
Anna Oliphant tem grandes planos para o seu último ano em Atlanta: sair com a melhor amiga, Bridgette, e namoriscar com um colega no cinema onde trabalha. Por conseguinte, não fica muito contente quando o pai a envia para um colégio interno em Paris. As coisas começam a melhorar quando ela conhece Étienne St. Clair, um rapaz deslumbrante - que tem namorada. Ele e Anna tornam-se grandes amigos e as coisas ficam infinitamente mais complicadas. Irá Anna conseguir um beijo francês? Ou algumas coisas não estão destinadas a acontecer? 

O ano passado lemos "Anna e o Beijo Francês" em inglês. Podem ver a nossa opinião aqui.

Todos os Teus Beijos
de Laura Lee Guhrke
Resumo:
Todos conhecem Dylan Moore — o seu brilhante talento e a sua busca pelo prazer — mas ninguém sabe o tormento que esconde. Apenas uma mulher se apercebe da força que impele a alma de Dylan, uma mulher que o persegue em sonhos e desperta nele paixões que nenhuma outra despertou. Desgraçada e agora muito pobre, Grace Cheval nada quer ter com o sedutor que a deseja. Quando Dylan lhe oferece o emprego de precetora para a filha que há pouco encontrou, sabe que as suas intenções não são honradas. Porém, é-lhe difícil resistir a este homem tão carismático e devolve-lhe os beijos apaixonados com todo o ardor. Atrever-se-á Dylan a esperar que esta beldade orgulhosa e intrépida derreta o gelo que envolve o seu coração? Em vinte anos de carreira, Dylan Moore escreveu 19 sinfonias e 10 óperas. O seu talento trouxe-lhe fama, fortuna e muitas conquistas femininas. Mas tinha apenas a música. Afetado por uma perda auditiva após uma terrível queda de um cavalo, Dylan não consegue voltar a compor. Sem conseguir aguentar mais, uma noite prepara-se para cometer o irreparável quando uma jovem violinista o impede. No entanto, o verdadeiro milagre foram as notas fugazes que ele pensou ter ouvido naquele momento, no limiar da consciência. Cinco anos mais tarde, Dylan continua à procura da desconhecida...

World Book Night 2013

A World Book Night é uma celebração anual que visa distribuir o amor pela leitura. Já o ano passado vos falamos dela, todos os anos dia 23 de Abril, data do nascimento de Shakespeare, em vários países milhares de pessoas distribuem meio milhão de livros gratuitos pelas cidades onde moram.
Seja deixando livros em autocarros, entregando-os em mão, ou por qualquer outro meio, o objectivo é chegar ao nicho de pessoas que não lêem e dar-lhe uma boa experiência de leitura. Por isso, todos os anos a lista de livros a ser distribuída neste dia varia. O ano passado alguns dos livros entregues foram Orgulho e Preconceito, de Jane Austen e A Rapariga que Roubava Livros, de Markus Zusak, este ano alguns dos livros que chegaram à lista final foram A Rainha Branca, de Philippa Gregory e A Ilha, de Victoria Hislop.
A World Book Night é uma organização sem fins lucrativos e vive do apoio de livrarias, livreiros, doadores de livros e outras organizações que acreditam na sua causa. Esta causa é recente e tem as suas raízes no Reino Unido em 2011, em 2012 este evento foi celebrado nos E.U.A., no Reino Unido, na Irlanda e na Alemanha. 
Podem ver o site oficial aqui.




Ki
(Catarina)
Sobre a autora:

Bibliófila assumida e escritora de domingo. Gosta de livros e tudo o que esteja relacionado com eles, tem a mania que tem opiniões sobre coisas e gosta de as expor no seu blog conjunto Encruzilhadas Literárias, tem também uma conta no GoodReads e é das melhores coisas que já lhe aconteceu.

Opinião: Alma Rebelde, de Carla M. Soares


Alma Rebelde
de Carla M. Soares
Edição/reimpressão: 2012
Páginas:288
Editor: Porto Editora

 Resumo: No calor das febres que incendeiam a Lisboa do século XIX, Joana, uma burguesa jovem e demasiado inteligente para o seu próprio bem, vê o destino traçado num trato comercial entre o pai e o patriarca de uma família nobre e sem meios.
Contrariada, Joana percorre os quilómetros até à nova casa, preparando-se para um futuro de obediências e nenhuma esperança.
Mas Santiago, o noivo, é em tudo diferente do que esperava. Pouco convencional, vivido e, acima de tudo, livre, depressa desarma Joana, com promessas de igualdade, respeito e até amor.
Numa atmosfera de sedução incontida e de aventuras desenham-se os alicerces de um amor imprevisto... Mas será Joana capaz de confiar neste companheiro inesperado e entregar-se à liberdade com que sempre sonhou? Ou esconderá o encanto de Santiago um perigo ainda maior?

Rating: 3.75/5 

Comentário: Quando li a sinopse deste livro, quis muito lê-lo, e apenas adiei a sua leitura porque me inscrevi na lista do Clube Blog Ring, o qual já referi aqui uma vez. Por outro lado, quando surgiu a campanha de promoção da eWook, aproveitei para adquiri-lo mas a formatação apresentada não foi das mais agradáveis para a leitura por isso vim a adiar até recentemente. Claro que algum dia a vontade de lê-lo iria superar os pequenos obstáculos e finalmente chegou a altura.

Aqui há uns tempos, disse a propósito da minha opinião a "Esmeralda Cor-de-Rosa" de Carlos Reys, que ler um livro de um autor lusófono é o mesmo que regressar a casa. Digo isto porque, embora hoje em dia nos deparemos com traduções fantásticas, a língua mãe é diferente, e independentemente da capacidade e estilo literário de cada autor, existe uma sensibilidade muito própria na Língua Portuguesa que é reconhecida e sentida com um enorme carinho. Ler Alma Rebelde, de Carla M. Soares, trouxe-me novamente essa essência, vincadamente lusitana e poética. Na verdade, a autora ainda foi mais longe, com uma delicadeza e cuidado aprimorados na construção literária deste livro. A língua portuguesa é rica, multifacetada, complexa e composta pela conjugação de pormenores, e foi sem dúvida explorada de forma muito inteligente neste livro, deixando-me saudosa de outros tantos livros de autores portugueses que já me passaram pelas mãos, do presente século e não só. Só por esse motivo, vale a pena saboreá-lo.

O discurso que nos acompanha ao longo de quase 300 páginas tem uma tendência melancólica, ao estilo bem português, com um tom reconfortante que nos abre portas para o séc. XIX, mas sendo muito presente. Compõe um padrão de época, com várias personagens interessantes, ainda que se centre principalmente em Joana e Santiago. De facto, e não soubesse de antemão tratar-se de um romance de época e não de um romance histórico, a sinopse poderia ter-me induzido em erro. Desta forma, não acho que haja uma carência de elementos históricos, embora que, gostando bastante do género, esperasse algo mais. Não foi de tudo impeditivo da leitura, que se centra essencialmente nas pessoas, sendo o cenário de época um passepartout para o resto do enredo.

Quanto às personagens, é sem dúvida o casal e as suas vivências que predominam no enredo. Mas não caí de amores pela sua história. Joana é uma menina ingénua, fragilizada pela situação que está a viver, um pouco dramática (o que é aceitável atendendo à época onde vivia e à composição da sociedade, pelo que não choca), mas não a considero uma verdadeira alma rebelde, mais uma alma a rebelar-se. É afável, algo céptica com a realidade que a rodeia, e na generalidade generosa. Já Santiago assemelha-se ao herói latino, e a impressão inicial é de alguém que diz ser flexível, mas não admite que algo se passe de forma contrária ao que espera, que impõe a sua presença a Joana, só porque se impressiona (e que não me permitiu assimilar o porquê da paixão que a rapariga começa a sentir). Os seus ataques repentinos e as variações de humor, ainda que justificados, não facilitaram a criação de uma grande empatia com a personagem. É o evoluir da situação, e em parte (tal como aconteceu a Joana), a opinião das pessoas da casa que lhe dão o benefício da dúvida, e posteriormente, o poder de torcer pela sua sorte.

Depois do dito choque inicial, à semelhança da sua futura noiva, acabamos por nos adaptar e compreendê-lo, valorizando um pouco o seu esforço para reverter situações retrógradas e confusas criadas pelo seu pai, valorizando a moral, os valores humanos, acima de qualquer título a ser prezado.

O romance acaba por ser amoroso (desculpem o trocadilho), e nesse seguimento, a autora dotou o livro de um toque de classe (que para quem acompanha o seu blog, sabe que é já um cunho da sua escrita) e delicadeza que nem sempre se vê. Para mim, a leve sugestão da noite de núpcias acabou por ser mais ternurenta e enquadrada no decorrer da obra.

Gostava de ter tido um bocadinho mais dessas mesmas personagens secundárias e das que se apresentaram em terceiro plano. Na verdade, o surgimento de Alice não acrescentou nada ao enredo, e é o único ponto que acho que poderia ter sido evitado. O pai de Santiago também nos traz apenas uma amostra da sua personagem. Nunca senti o ar gelado e frio tantas vezes relatado porque as situações vividas foram muitas vezes descritas em analepses.

De resto, e como apontamentos finais (e que justificam o não chegar a quatro estrelas), custou-me imenso admitir a linguagem e o tratamento das personagens por na segunda pessoa do singular, talvez mais por falta de hábito que outra coisa. No entanto, todos os livros históricos ou de época que tenho lido até hoje, fazem essa pequena adaptação, independentemente da história a contar. Acho que por uma questão de proximidade à época teria sido mais agradável.

De qualquer forma, Carla M. Soares cativou-me pela sua forma sublime de escrever; e como diria Antoine de Saint-Exupéry em "O Princepezinho", cativar é criar laços. O que significa que estaremos por cá à espera da próxima obra.

Cláudia
Sobre a autora:
 
Maratonista de bibliotecas e bookcrossing, a Cláudia ainda consegue estudar e fazer o seu mestrado enquanto lê nos transportes públicos. Defensora da sustentabilidade e do voluntariado é tão fácil encontrá-la numa biblioteca como na Rota Jovem em Cascais. É uma sonhadora e gosta de boas histórias, procurando-as em cada experiência que vive.

Mais um encontro

Tal como prometido no artigo anterior hoje fui visitar a John Rylands Library que não só foi uma das atracções turísticas mais visitas do Reino Unido o ano passado, como faz parte da Universidade de Manchester.
Tornando agora este artigo um pouco massudo vamos entrar em nomes complicados e datas apenas relevantes para esta história.
A JRL abriu em 1900 ao público, pelas mãos de Enriqueta Augustina Rylands, em memória do seu falecido marido. Esta biblioteca já pertencia à Sr.ª Reynolds, que a encomendou em 1889 para ser um marco da sua vida em Manchester. Como quis que esta tivesse principalmente, pergaminhos religiosos toda a biblioteca foi construída num estilo neo-gótico e com semelhanças exterior a uma igreja. (Que podem confirmar na imagem abaixo)
A JRL juntou-se à Universidade de Manchester em 1972 e as colecções especiais de livros antigos de ambas as instituições foram arquivados na JRL em Deansgate (nome da rua onde fica a JRL). Acredita-se que a  colecção desta biblioteca  seja das maiores no Reino Unido e incluí manuscritos medievais repletos de iluminuras e vários exemplos das primeiras impressões europeias, incluindo uma Bibília de Gutenberg. A JRL possuí também aquele que é considerado uma das primeiras edições do Novo Testamento (o que provavelmente deixa a Sr.ª Dª Enriqueta Rylands muito feliz, esteja ela onde estiver.).
Na minha opinião a biblioteca é lindíssima e está fantasticamente preservada. Creio que um dos pontos a favor da biblioteca é o facto de não se entrar directamente nela e sim por um edifício ao lado que é extremamente moderno e vidrado. Daí, subimos umas escadas e subitamente começamos a ver pedra antiga e corredores misteriosos que lembram uma igreja vitoriano e é por aí que nos perdemos, escada acima e escada abaixo até que encontramos a sala de leitura (a que está na primeira foto) que fica no segundo andar (sim, segundo!) desta fantástica biblioteca.
Esta Sala de Leitura ainda é usada nos dias de hoje e os alunos da Universidade de Manchester podem usá-la para estudar e se levarem os seus portáteis podem aceder à net (não é necessário ser-se aluno para se entrar até porque a entrada é livre mas depois não se pode aceder à net). A Sala de Leitura tem vários nichos de estudo bastante interessantes onde os alunos podem estudar até às 17h.
Quando visitei a biblioteca, uma actividade da Páscoa ainda não tinha sido retirada e vários ovos de dragão estavam escondidos pelos recantos mais incríveis do edifício, o que contribuiu para dar uma atmosfera ainda mais mágica ao local. E para terminar a fotógrafa Gwen Jones estava a tirar fotografias a todos os visitantes da biblioteca e claro que não pude deixar de contribuir com a minha face para o seu projecto.
Assim e para terminar este artigo quero deixar-vos algumas fotos que tirei. Não estão nada de especial porque o telemóvel já é velhinho e não acho pilhas que entrem na minha máquina mas dá para terem uma ideia do que vi.







Ki
(Catarina)
Sobre a autora:

Bibliófila assumida e escritora de domingo. Gosta de livros e tudo o que esteja relacionado com eles, tem a mania que tem opiniões sobre coisas e gosta de as expor no seu blog conjunto Encruzilhadas Literárias, tem também uma conta no GoodReads e é das melhores coisas que já lhe aconteceu.

Opinião: Trash Os Rapazes do Lixo, de Andy Mulligan



Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 232
Resumo:
Nunca saberás o que vais encontrar...
 Raphael, Gardo e Ratazana vivem em Behala, uma lixeira de proporções inimagináveis num país do Terceiro Mundo. Todos os dias, a sua vida resume-se a passar a pente fino os detritos provenientes da cidade na esperança de encontrarem algo que possa ser vendido. Um dia, descobrem uma pequena mala de cabedal que contém dinheiro e alguns documentos pessoais. Mas a polícia também está interessada em ficar com a mala, e os três rapazes dão por si a ser perseguidos à medida que tentam desvendar um caso de corrupção que envolve as mais altas esferas da sociedade.
(Para verem o livro no site da editora cliquem no título do mesmo ou aqui, para lerem um excerto no site da editora cliquem aqui)

Rating: 3/5

Comentário: 
Quem nos segue habitualmente é capaz de já ter notado que temos uma tag especial para a colecção Noites Claras da Editorial Presença. Criámo-la quando descobrimos que já tínhamos lido muitos dos livros desta colecção e mais, quando nos apercebemos o quanto gostamos deles e o quanto eles nos mantêm a pé a noite toda fazendo jus ao nome da colecção!
Trash é um livro diferente do que esperava inicialmente: a narrativa é contada principalmente na primeira pessoa pelos três rapazes que trabalham na Lixeira - Gardo, Raphael e Ratazana - assim como por outros intervenientes que explicam as partes a que os rapazes não tiveram acesso. De um modo estranho, estas personagens surgem, garantindo estar a relatar os espisódios que testemunharam a pedido dos rapazes. No entanto, tendo em conta o decorrer do livro, não fica esclarecido de que forma tal era possível (mas isto são detalhes irrelevantes para a história).
O resumo do livro é claro e directo. O livro não dá muito mais voltas e reviravoltas, sendo uma narrativa  simples, directa e carregada de acção (ao fim ao cabo...são rapazes!). Deste modo, não esperem frases confusas e/ou profundas, reflexões, palavreado caro...Trash está escrito como uma representação da história e vida de três rapazes, e são as suas palavras que a transformam em realidade (revelando um dos talentos de Andy Mulligan ao consegui-lo).
Quando ao enquadramento, temos um cenário de pobreza imensa. Estas crianças trabalham há quase uma década na lixeira e que têm apenas treze anos, o que facilita a aproximação entre o leitor e elas, que não consegue evitar uma sensação de ligação e empatia por eles.
No geral, devo dizer que achei o livro interessante. Considero no entanto que falta um pouco de realismo no meio da ficção, soando por vezes demasiado "sortudo". Conhecem aquela sensação que temos quando os personagens começam a ter sorte a mais? Essa impressão acompanhou-me um bocado durante este livro, e por vezes esperei que a história ganhasse um contorno ligeiramente diferente. Geralmente sou muito tolerante a este tipo de situações, principalmente nos mundos de fantasia (porque num mundo em que dragões voam pelos céus uma pessoa até consegue acreditar que se venda sorte engarrafada), mas quando se tenta criar uma base real, quando a história se passa no nosso mundo, parece-me algo caricato.
Ainda assim, é um livro essencialmente orientado para um público mais jovem (talvez pré adolescentes e adolescentes) que gostem e procurem um livro ao jeito de filmes de domingo - cheios de acção com polícias, políticos corruptos e rapazes que sobrevivem a toda e qualquer complicação que lhes surja, como elemento de esperança para dias melhores. É pequeno (pelo menos para quem acha que 250 páginas é um tamanho razoável), que se lê facilmente, e que por esse motivo pode ser incentivador para promover a leitura entre os mais novos. Saí daqui com três estrelas.
  • Podem ver todos os livros que já comentamos da colecção Noites Claras clicando aqui;
  •  Apesar de nunca ser referido o país em que se passa a acção, vários leitores das Filipinas conseguiram situar a acção no seu país (onde há uma lixeira com o mesmo nome e um shopping com uma história parecida à do livro).

Novidade Porto Editora: O Maior Amor do Mundo, de Seré Prince Halverson

  O Maior Amor do Mundo
de Seré Prince Halverson
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 288
Editor: Porto Editora
Resumo:
Ella Beene vive uma vida idílica numa pacata cidade americana, com o marido, Joe, e os dois filhos do primeiro casamento deste. Certo dia, porém, infringindo uma regra de ouro, Joe vira costas ao mar e uma onda arrasta-o para o fundo, levando consigo os seus muitos segredos.
Convencida de que a mãe biológica dos filhos, Paige, os tinha abandonado, é com grande surpresa que Ella a vê aparecer no funeral, decidida a recuperar a custódia.
À medida que os segredos emergem, Ella vê a sua vida perfeita ruir como um castelo de cartas. Mas há duas crianças que precisam de si mais do que nunca e pelas quais está disposta a enfrentar todas as adversidades... 

Lançamento a 22 de Maio mas podem ler já as primeiras páginas no site da Editora clicando aqui.

Livros por uma boa causa

Algumas das lojas que mais gosto no Reino Unido são as chamadas "Lojas de Caridade". Confesso que as amo por dois motivos, primeiro porque vendem livros entre 1£ e 2£ (1,20€ a 2,40€), segundo porque todo o dinheiro que angariam vai para ajudar quem mais precisa.
Não tenho vergonha nenhuma de dizer que 80% dos livros que adquiro vem destas lojas. Também compro livros novos (quem não adora um livro novo?) mas depois de uma leitura, ou duas, ou três todos os livros ficam com um aspecto gasto (principalmente os meus que correm pelas mãos da irmandades, i.e. irmãs, amigas e às vezes até amigas das irmãs), por isso não me faz confusão nenhuma comprá-los em segunda mão.
Aliás maior parte dos livros nestas lojas está em tão bom estado que parece ter saído directamente das livrarias para elas. Outros são ex-livros de biblioteca e tem capas especiais em plástico a proteger as capas dos livros o que os torna mais resistentes (aqui eles chamam-lhe Library Binding e parece-me uma excelente ideia para conservar os livros das bibliotecas).
Assim sendo podem-se fazer verdadeiras loucuras e se virmos bem é muito bem jogado por parte destas lojas, primeiro porque não tem gastos com as mercadorias pois são doadas pelas pessoas, segundo, porque maior parte das pessoas não doaria dez euros do nada para uma associação mas, por outro lado, compraria dez livros por dez euros, ou duas camisolas por cinco euros cada uma, ou outra coisa qualquer que veja na loja.
Com estas vendas (e vão por mim, o recheio das lojas está sempre a mudar, não na sua totalidade mas há muita coisa que circula) as lojas não só conseguem um número elevado de doações para as suas causas como ainda cativam clientes ao oferecem sempre material diferente. Convém acrescentar que os funcionários são todos voluntários, logo os únicos gastos da loja deverá ser mesmo a renda e as contas da luz.
Em algumas lojas, além das coisas que normalmente se encontram nestas lojas, pode-se comprar vales (um pouco como em Portugal no Natal, onde podemos chegar à caixa e passar um vale de uma garrafa de azeite em vez de a irmos buscar) que irão dar água, comida ou roupa aos mais necessitados.
Estas lojas, no entanto, não se ficam pelo bric-a-brac vendem também mobília e electrodomésticos em segunda mão, às vezes tão reluzentes que parece mentira que sejam usados. Estes são vendidos a metade do preço de mercado (quando não menos) e ainda são entregues gratuitamente na casa das pessoas. Tudo isto se junta para criar um bolo muito bonito e implementar nas pessoas a vontade de ajudar.
Claro que muitas só usam estes serviços por ser mais barato, mas de uma maneira ou outra, as pessoas acabam por contribuir o que só por si é muito bom.
Quem pensam, Encruzilhados? Umas lojas assim em Portugal era capaz de não ser má ideia, não acham?


Ki
(Catarina)
Sobre a autora:

Bibliófila assumida e escritora de domingo. Gosta de livros e tudo o que esteja relacionado com eles, tem a mania que tem opiniões sobre coisas e gosta de as expor no seu blog conjunto Encruzilhadas Literárias, tem também uma conta no GoodReads e é das melhores coisas que já lhe aconteceu.

Vencedor Passatempo: "A Filha do Conspirador", de Philippa Gregory

A Filha do Conspirador
Boa noite caros leitores,
Antes de mais as nossas desculpas pela demora fora do comum na entrega deste resultado mas a nossa vida tem sido bastante movimentada e perdemos um pouco a noção do tempo.
Gostaríamos de agradecer a todos os participantes que, como nós, são fãs da Philippa Gregory. Infelizmente, só temos um exemplar para oferecer, e a mais um elemento do sexo feminino:
[113] - Daniela Pereira, de Esmoriz.

Parabéns Daniela! Receberás em breve um e-mail para confirmação da morada. Quanto aos outros participantes se ainda não foi desta não desesperem, teremos outros passatempos para breve.

Opinião: The Mark Of Athena [Heroes Of Olympus 3], de Rick Riordan

The Mark Of Athena [Heroes Of Olympus 3]
de Rick Riordan
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 592
Editor: PENGUIN BOOKS LTD
Resumo: Atenção spoilers dos volumes anteriores
Annabeth is terrified. Just when she's about to be reunited with Percy—after six months of being apart, thanks to Hera—it looks like Camp Jupiter is preparing for war. As Annabeth and her friends Jason, Piper, and Leo fly in on the Argo II, she can’t blame the Roman demigods for thinking the ship is a Greek weapon. With its steaming bronze dragon masthead, Leo's fantastical creation doesn't appear friendly. Annabeth hopes that the sight of their praetor Jason on deck will reassure the Romans that the visitors from Camp Half-Blood are coming in peace.
And that's only one of her worries. In her pocket Annabeth carries a gift from her mother that came with an unnerving demand: Follow the Mark of Athena. Avenge me. Annabeth already feels weighed down by the prophecy that will send seven demigods on a quest to find—and close—the Doors of Death. What more does Athena want from her?
Annabeth's biggest fear, though, is that Percy might have changed. What if he's now attached to Roman ways? Does he still need his old friends? As the daughter of the goddess of war and wisdom, Annabeth knows she was born to be a leader, but never again does she want to be without Seaweed Brain by her side.
 
 Rating: 4/5
 
Comentário: 
(Apercebi-me agora que este resumo do livro fá-lo parecer extremamente romântico e Percabethiano o que não é caso, mas bem, seguindo com a crítica!)
Queria escrever uma crítica toda pomposa deste último livro (dos já lançados) mas não consigo. O meu coração caiu-me do peito para as mãos.
Quem nos segue, sabe que comentei todos os livros de Percy Jackson já disponíveis em português e não estava à espera de comentar a saga que faz de sequela à primeira mas decidi fazê-lo. Porquê? Porque é fantástico ver a evolução das personagens nesta saga!
Na saga Percy Jackson conhecemos Percy com doze anos e testemunhamos as suas primeiras aventuras, a primeira missão, a primeira paixoneta, o primeiro beijo mas agora, aos dezasseis anos, e já na saga Heróis do Olimpo, o ciclo está prestes a fechar-se. Os medos e inseguranças do nosso herói continuam lá, agora aliados a uma certa raiva contra os deuses do Olimpo, Percy chega mesmo a comentar que agora que tem a idade que tem percebe a revolta de Luke contra os deuses, também Percy está farto de ser um peão num jogo de xadrez que não só não percebe como também não quer jogar.
Esta raiva é alimentada por monstros que não morrem por muito que os matem, Titãs que teimam em destruir o mundo, e deuses que se escondem e que deixam os seus filhos, os mestiços, a tentar resolver a situação. Quem poderia não sentir raiva? Afinal, tudo o que Percy quer é uma tarde descansada num esplanada a tomar uma coca-cola com a sua namorada, não é como se estivesse a pedir o mundo. (Tenho a sensação que se ele e o Harry se encontrassem teriam muito que falar e ainda acabariam amigos!)
Uma das coisas que mais achei engraças neste livro, aliás um pouco em toda a saga, foi ver a maneira como a fantasia espelha a realidade, tantas coisas que se poderia pedir, imortalidade, longevidade, feitiços, magia e as pessoas acabam sempre por escolher o que é simples, o que amam de verdade: a companhia de alguém, um abraço, um beijo.
É verdade que esta saga continua a ser para adolescente mas, se os primeiros cinco volumes são destinados a adolescentes mais novos (12-15 anos), esta segunda saga é destina já a um público mais YA e são numerosos os blogs na net que me dão apoio.
Com personagens mais interessantes e coloridos, uma linha de acção muito mais rápida e o carisma/ironia de Percy, a saga dos "Heróis do Olimpo" está, sem dúvida, mais bem construída que a primeira. provavelmente também devido às suas idades as personagens parecem-me mais expansivas, a verdade é que já não estamos a falar de crianças de doze anos e sim adolescentes de dezasseis, e com isso o mundo de Percy abre-se revelando novas possibilidades.
Uma saga triunfante e que, na minha opinião, se pode colocar na estante ao lado dos livros de Harry Potter! Agora é esperar pelo próximo volume "The House of Hades" que sai este ano em Outubro.
 
  • A Saga Heróis do Olímpio será composta por cinco volumes;
  • Os três primeiros já sairam e são The Lost Hero, The Son of Poseidon e The Mark of Athena;
  • O próximo volume chamasse The House of Hades e será lançado este ano (2013) em Outubro.

Divulgação: Campanha da Bulhosa "Abril. Livros Mil"


Com descontos entre os 10% e os 30% em todos os livros em stock

Bulhosa lança campanha de descontos Abril. Livros Mil

Abril. Livros Mil. Este é o mote da campanha de descontos Bulhosa, que começou esta segunda-feira, 8 de abril, e que termina no domingo, 28 de abril. Obtenha descontos imediatos entre 10% e 30% em www.bulhosa.pt ou www.livrarialeitura.pt, descontos que ficam disponíveis, num prazo máximo de 48 horas, nas livrarias Bulhosa e Leitura. 

Para participar, deve aceder ao website da Bulhosa e clicar no botão Partilha já no Facebook e Ganha um desconto imediato. O desconto é imediato e não acumulável com Cartão Cliente, vouchers promocionais ou outras campanhas a decorrer e cada participante pode obter apenas um desconto por dia (ver condições de participação no website).

Novidades Abril: Editorial Presença

Já viram as novidades da Editorial Presença para Abril?
Por estes lados estamos curiosas em relação ao livro Inverno de Sombras de L.C. Lavado como já vos dissemos neste post. E vocês?

Lançamento: A Filha do Papa, de Luís Miguel Rocha

O seu último romance foi o primeiro de um português a entrar no top de vendas do NY Times

Luís Miguel Rocha apresenta novo livro na Bulhosa

O escritor Luís Miguel Rocha vai estar na Bulhosa Oeiras esta quinta-feira, 11 de Abril, às 18h, e no dia seguinte, sexta-feira, 12 de Abril, às 18h, na Leitura Bom Sucesso, para duas sessões de autógrafos, em Lisboa e no Porto, aproveitando o lançamento do seu mais recente romance com a chancela da Porto Editora, A Filha do Papa. Os seus títulos anteriores, O Último Papa e Bala Santa, foram ambos bestsellers e A Mentira Sagrada, o mais recente, foi publicado em 22 países e o primeiro livro de um autor português a entrar para o top de vendas do New York Times.

Leiam mais sobre o livro:

A Filha do Papa
de Luís Miguel Rocha
Páginas: 432 
Editora: Porto Editora 
Publicação: Abril de 2013
Sinopse:

Será o antissemitismo a verdadeira razão para o Papa Pio XII não ter sido beatificado? 
Quando Niklas, um jovem padre, é raptado, ninguém imagina que esse acontecimento é apenas o início de uma grande conspiração que tem como objetivo acabar com um dos segredos mais bem guardados do Vaticano - a filha do Papa Pio XII. Rafael, um agente da Santa Sé fiel à sua Igreja e à sua fé, tem como missão descobrir quem se esconde por detrás de todos os crimes que se sucedem e evitar a todo o custo que algo aconteça à filha do Papa. Conseguirá Rafael ser uma vez mais bem-sucedido? Ou desta vez a Igreja Católica não será poupada?

De encontro marcado com a biblioteca

Maior parte das pessoas quando se muda para o estrangeiro procura os supermercados, lavandarias e outros sítios que tais mas eu, como livrólica, fui logo atrás da biblioteca mais próxima. Uma pesquisa rápida na internet permitiu-me descobrir que tinha 4 bibliotecas nas minhas imediações, uma era só arquivo, uma estava fechada para obras e as outras duas estavam disponíveis. Como ainda não me movimento muito bem, tentei a encontrar a City Library - Elliot House porque era a mais perto de locais por onde já tinha andado e também porque, e sejamos sinceras, só de ver fotos da biblioteca já estava a chorar de felicidade.
Convém dizer que como me de costume fiz um ligeiro desvio de rota e fui acabar à porta da Central Library (que está fechada para obras mas é uma obra de arte da qual falarei noutro post). Após me ter posto por ruas jamais navegadas e ter encontrado o cinema (que nem fazia ideia que fosse para aqueles lados!) acabei por encontrar uma das portas laterais da biblioteca e entrar na mesma.
Fui atendida por um grupo de bibliotecárias muito simpáticas que me fizeram o meu cartão de leitora e me informaram das normas da biblioteca. Posso levar até 8 livros por 3 semanas e renová-los até 8 vezes desde que mais ninguém os queira. Tal como em Portugal, a biblioteca também tem dvd's e cd's para requisitar mas aqui paga-se para os levar para casa. Cada DVD, desde que não tenha acabado de chegar à biblioteca, fica a 1,20€ por semana, e os cd's de música ficam a 0,55€ por semana.
Apesar do aspecto antigo por fora, a biblioteca é um espaço moderno com computadores, paredes brancas e muitas prateleiras de rodinhas e baixinhas cheias de livros (dá a sensação que amanhã as estantes já poderão ter outra disposição o que é giro!). Pode-se levar bebidas para o interior e encontrei um grupo de jovens com o farnel espalhado em cima da mesa e rodeado de materiais de estudo. Tenho de experimentar fazer o mesmo com um copo de chocolate quente na mão.
No meio de toda a agitação e emoção, sabiam que esta biblioteca tem livros em português, russo, chinês etc?, acabei por trazer 4 livros para ler todos infanto-juvenis, e podem contar com uma crítica a um deles em breve. Também encontrei um grupo de rapazes portugueses a brincar com as cadeiras da biblioteca (daquelas que tem as "mesas" presas nos apoios dos braços) e por isso continuo a dizer "a cada curva que faço neste país encontro portugueses".
Entretanto já marquei o meu próximo encontro, desta feita com o John. John Reynolds para ser mais exacta, a biblioteca da universidade de Manchester e que funciona desde 1824. Esta biblioteca está repleta de actividades e funciona no edifício abaixo. Creio que não tenho de dizer mais nada.




Ki
(Catarina)
Sobre a autora:

Bibliófila assumida e escritora de domingo. Gosta de livros e tudo o que esteja relacionado com eles, tem a mania que tem opiniões sobre coisas e gosta de as expor no seu blog conjunto Encruzilhadas Literárias, tem também uma conta no GoodReads e é das melhores coisas que já lhe aconteceu.

Novidade Marcador: Inverno de Sombras, de L.C. Lavado

Caros Livrólicos Anónimos,

Temos uma novidade para vocês e desta vez, de um lançamento que nos é especial! Como sabem, a Internet por vezes abre muitas portas e consegue tornar ainda mais pequeno o nosso Planeta Terra. Foi através do Encruzilhadas Literárias que conhecemos a Liliana Lavado, que tem vindo a comentar de vez em quando as nossas opiniões ou artigos. Daí a cruzarmo-nos com ela por outros universos digitais, como por exemplo o GoodReads, foi só um passo! E foi precisamente nesse espaço que ficámos ao corrente de uma série de obras por si produzidas e lidas por um grupo de Beta-Readers que a têm vindo a apoiar desde então. As sinopses despertaram-nos a atenção, e se ainda nenhum dos seus livros foi opinado foi porque as nossas listas para ler só crescem até mais não!

Ainda assim, foi com imenso entusiasmado que soubemos há uns meses que a autora, a viver atualmente na Suíça (e tornando por isso tudo isto muito mais dinâmico) iria ser publicada pela Editora Marcador! Inverno de Sombras chegou esta semana ao mercado nacional e promete para os amantes do fantástico. Por cá, esperamos lê-lo ainda em 2013; caso não o consigamos, ficamos à espera das vossas opiniões na Rubrica Convidado! ;)

Podem ler abaixo os detalhes do livro:

Inverno de Sombras
de L.C.Lavado
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 592
Editor: Marcador
Resumo:
“Todos ficam sujos de sangue e há sempre alguém que morre.”

Este é o lema de Danton.
Filho de dois poderosos feiticeiros, inimigos de séculos, a sua própria existência é apenas mais um golpe de guerra entre os pais. Criado e aperfeiçoado por Amauri e Goulart como arma de eleição, o tempo veio a torná-lo na mais mortífera de todas, temido até pelos próprios. 
Em Lisboa, uma misteriosa Caixa detém um poder que uma família guarda há gerações e Danton está decidido que é chegada a hora desse poder lhe pertencer. Numa caça ao tesouro que se transforma num jogo de xadrez, não há bons nem maus, nem verdade que não esconda um segredo.
O passado colide com o presente e tudo acontece, apenas não como todos o esperam.

Adicionem este livro à vossa conta do GR clicando aqui. e podem ver o site da autora aqui.

BookTrailer

Com uma pechincha nas mãos

Quem me conhece sabe que, apesar de gastar maior parte do meu dinheiro em livros (e ao longe o meu guarda roupa chora...), sou muito picuinhas no quanto pago por eles. Não me considero necessariamente um Tio Patinhas mas, e tendo em conta que não tenho o dinheiro que ele tem, gosto de sentir que estou a pagar o valor correcto pelo livro que tenho em mãos.
Sei que é muito difícil avaliar o valor de um livro, até porque também escrevo e sei a coragem que é precisa e o suor que se escorre para conseguir por vezes uma única linha de jeito numa página A4 mas os livros, em Portugal, são por vezes muito caros.
É por isso que quando vou visitar a minha irmã a Inglaterra gosto de ir de mala vazia para me vingar e comprar livros como deve ser. Perto da universidade da minha irmã há várias lojas chamadas Lojas de Caridade, pertencem a várias instituições, normalmente sem fins lucrativos, que ajudam idosos, doentes crónicos, etc e, para não fazerem peditório directo, aceitam doações de livros, jóias fantasia, roupa, loiça entre outros que depois revendem com um valor simbólico.
A minha perdição nestas lojas são os livros, porque vão desde os 0,49p às 2£ (mais ou menos dos 57c aos 2,20€) e por vezes fazem-se verdadeiros achados no meio de livros que ninguém quer. A minha colecção da História Horrível está a fazer-se livro a livro, também encontro grandes clássicos e por vezes livros recentemente editados em Portugal (que como tiveram de ser traduzidos normalmente já foram lançados há mais tempo no estrangeiro).
Da última vez que visitei estas lojas dei por mim com uma cópia do A Culpa é das Estrelas de John Green nas mãos. Como imaginam o mesmo não ficou na prateleira a ganhar pó e assim como não ficou ele, não ficaram também outros livros, oito no total, pelos quais paguei pouco mais de cinco euros. Se me perguntarem se fiquei com a minha compra direi que sim apesar de ter noção que o valor é ridiculamente baixo e que as editoras e os autores não podem viver destes preços.
Talvez seja a grande fraqueza da minha alma, não resisto a um livro a baixo preço (que queira ler claro, não compro qualquer coisa só porque está barata) mas ao mesmo tempo sinto-me um pouquinho culpada. E vocês Encruzilhados, qual é a vossa opinião nesta matéria? Acham os livros muito caros ou nem por isso? Que pensam das trocas/compra de livros usados a baixo custo?


Ki
(Catarina)
Sobre a autora:

Bibliófila assumida e escritora de domingo. Gosta de livros e tudo o que esteja relacionado com eles, tem a mania que tem opiniões sobre coisas e gosta de as expor no seu blog conjunto Encruzilhadas Literárias, tem também uma conta no GoodReads e é das melhores coisas que já lhe aconteceu.

Indo eu, indo eu a caminho da livraria

Porque as crianças e os livros são o melhor do mundo, aqui no Encruzilhadas decidimos marcar este Dia Internacional do Livro Infantil com algumas sugestões sobre livros a oferecer nesta data ou noutra qualquer aos mais pequenos.
Quem nos segue habitualmente já deve ter reparado que tenho uma certa paixão por livros infanto-juvenis. É algo que não sei bem explicar mas que sem dúvida aquece o coração da minha criança interior que foi, e é, sem dúvida, uma leitora bastante avida. 
Assim e para celebrar este dia deixo-vos aqui uma lista dos livros infantis que li e que mais gostei. Alguns deles são só de imagem, outros com imagens e texto e outros são apenas texto (creio que até aos 10 anos podemos considerar leitura infantil, não?).
Sugestões aceitam-se para aumentar esta lista! Outros livros que queiram acrescentar, Encruzilhados? Eu gostaria de adicionar Enid Blyton à lista mas não sei se ela não terá como alvo um público mais juvenil (isto é, dos 10 anos para cima).



Ki
(Catarina)
Sobre a autora:

Bibliófila assumida e escritora de domingo. Gosta de livros e tudo o que esteja relacionado com eles, tem a mania que tem opiniões sobre coisas e gosta de as expor no seu blog conjunto Encruzilhadas Literárias, tem também uma conta no GoodReads e é das melhores coisas que já lhe aconteceu.

Passatempo: A Filha do Conspirador, de Philippa Gregory

Boa tarde caros Encruzilhados.


Já com saudades de um passatempo novo, ainda que o anterior tenha terminado ontem? Pois bem, aqui fica mais uma novidade, desta vez com a colaboração da Civilização Editora! Para os fãs de Philippa Gregory que acompanham a saga A Guerra dos Primos, temos um exemplar de A Filha do Conspirador para oferecer. Para isso, basta que sigam as instruções do formulário e respeitem as regras publicitadas. As respostas podem ser encontradas aqui. Quem quiser, poderá consultar um excerto do livro aqui também. Boa sorte!
A Filha do Conspirador

Regras do Passatempo: 
1) O passatempo decorre até às 23h59 do dia  10 de Abril de 2013. 
 2) Todos os dados solicitados devem ser devidamente preenchidos e completos. 
3) Só serão aceites uma participação por pessoa e morada, em todo o território português (Portugal Continental e Ilhas). 
4) O/A vencedor/a será sorteado de forma aleatória (random.org), sendo o resultado anunciado na página do blog e o contacto efectuado por e-mail. 
5) O Encruzilhadas Literárias e/ou a Editora não se responsabilizam pelo extravio ou danos causados pelos CTT no exemplar enviado.




Resultado do Passatempo: Os Guerreiros do Arco-Íris, de Andrea Hirata

Boa noite caros leitores,

Hoje não paramos com as novidades e aqui fica o resultado de mais um fantástico passatempo com a colaboração da Editorial Presença! Desde já, e sem demoras, damos os nossos parabéns a André Miguel Vasconcelhos, de Oliveira de Frades. E sai um livro para o sexo masculino, que há muito que não ganhava nada no nosso Blog.

Esperemos que goste, e seja uma inspiração.

Quanto aos restantes, temos um passatempo fresquinho a ser lançado daqui a umas horas. Não percam!


Divulgação: Livrarias Bertrand

Caros Encruzilhados,

Começa hoje o mês dos livros e, para celebrar, as livrarias Bertrand lançam no mercado uma edição especial da sua revista a Somos Livros. Além de ser gratuita, a revista vem com um catálogo de descontos nas livrarias Bertrand, até 40%, além de vales para teatro, cinema e papelaria. 

Todo este mês é de celebração para nós livrólicos e amanhã, Dia Internacional do Livro Infantil, as livrarias Bertrand oferecem o livro «Bernardo e o Dragão», em compras superiores a 20 euros. (Para quem não sabe, Bernando é a mascote da livraria!)

Outros dias a assinalar serão o dia 6 de Abril, no qual a Bertrand se associa à comemoração do 120º aniversário do nascimento de Almada Negreiros, marcando presença na feira do livro sobre o autor no Largo do Chiado. E no dia 23 de Abril, o já famoso dia Mundial do Livro, o Ler no Chiado será especial: tendo como convidados Anabela Mota Ribeiro, o painel de comentadores de O Eixo do Mal, Clara Ferreira Alves, Daniel Oliveira, Luís Pedro Nunes, Nuno Artur Silva e Pedro Marques Lopes trazem ao Chiado «livros que mudaram o mundo». (Quem fizer compras superiores a 25€ neste dia terá direito ao já habitual Almanaque Bertrand.)

Ainda no âmbito do mês do livro a Bertrand irá promover cursos de livreiros para as escolas – para turmas de alunos do ensino básico que desejem se familiarizar com o espaço das livrarias e aprenderem os segredos de uma profissão muito desejada. Prosseguem, também, este mês e com mais oferta, as oficinas de escrita: «Escrevi um livro. Da gaveta à publicação.» e «Fazer um livro», ambos por Andreia Rasga, e «A viagem continua», por Raquel Ochoa, são algumas das oficinas propostas.

E como se tudo isto não bastasse, na semana de 20 a 28 de abril, as livrarias Bertrand saem para a rua, em Lisboa: ocupando espaços como o Chiado, Avenida de Roma e Monumental, no âmbito da semana do livro e dos leitores, no âmbito programa Ler em Todo o Lado, uma iniciativa da APEL.

E se isto não são razões para festejar livrólicos não há nada como aguardar pela Feira do Livro que já não está tão longe quanto isso! 
Boas leituras!