Opinião: Cartas por um Sonho, de Ángeles Donate


 Cartas por um Sonho, de Ángeles Donate

Edição/reimpressão: 2016
Páginas: 376
Editor: Suma de Letras

Resumo: O Inverno chega a Porvenir e traz com ele uma má notícia: a estação de correios vai fechar e o pessoal vai ser transferido para a cidade. Quem precisa de um carteiro num mundo onde já não se escrevem cartas?
Cartas Por Um Sonho é um livro comovente, encantador e cheio de ternura, onde, através da corrente de cartas, vão desfilando personagens do nosso quotidiano, todas elas com os seus sonhos, a sua história, mais ou menos triste, as suas frustrações.





Rating: 3/5

Comentário: Este livro é uma pequena delícia. Adoro cartas, recebê-las, escrevê-las, lê-las e encontrá-las no correio. Nos dias mais cinzentos, chegar a casa e encontrar um pedaço de alguém que agora também é nosso transposto para o papel pode fazer milagres. É uma delicadeza especial, que valoriza o tempo gasto por quem a escreveu e a atenção em fazê-lo de uma forma memorável. Aposto que não se lembram do que dizia um email escrito ontem, mas a carta recebida no mês passado ainda está presente nas vossas mentes!
É precisamente este amor à escrita epistolar que fundamente este pequeno livro, que se passa na pequena aldeia de Porvenir.
Num processo continuado e ao qual já nos habituámos, Porvenir é uma memória de outros tempos, abandonada pelos mais novos e aventureiros à procura de uma vida melhor já não encontrada nas profundezas de uma terreola simpática mas sem oportunidades, com registos do tempo nas paredes antigas, nas ruas empredredadas e na memória dos que ficaram para trás, por opção (muito poucos) ou porque a vida se encaminha para um fim recostado, onde não existe melhor lugar para descansar que o espaço da infância e das memórias embaladas.
Ao grupo dos teimosos (ou persistentes) junta-se Sara, a carteira local que vê a sua resiliência ameaçada pela necessidade de fechar o posto de correios locais e deslocar o seu posto de trabalho para uma das cidades na envolvência.
É então que uma iniciativa levada a cabo por uma aldeã promove uma cadeia de cartas peculiar e anónima, que gera uma ligação entre vários membros da aldeia (e visitantes ocasionais) numa cadeia  ternurenta, cuidada, com intenção de surpreender e também libertadora.
Reunindo pessoas tão diferentes nesta experiência inesquecível, as razões que levam a que cada um se junte ao processo, muito mais do que o lado solidário que a motiva, são bocadinhos a descobrir. Sentimentos de pertença, solidão, desejos de comunicar, necessidade de desabafar e criar ligações (mesmo que efémeras) são algumas das motivações de cada elemento desta série. E que ainda se tornam mais especiais ao longo de todo o livro, onde não só a sua carta é demarcada, como é possível ter acesso a mais elementos da vida de cada personagem e que tornam o processo escrito ainda mais especial.
Paralelamente, a vida na aldeia continua e algumas personagens tornam-se mais visíveis, assim como as suas interações com os restantes que por lá habitam, criando uma mescla de situações típicas de uma localidade pequena, mas sempre num espírito de entreajuda, companheirismo e procura da felicidade nos mais pequenos pormenores.
Angeles Donate traz-nos um livro pequenino e enternecedor, cheio de momentos de embalo que nos colocam um sorriso no rosto e nos lembram de que ainda há pureza nas pessoas e que esta merece ser protegida das desavenças e da maldade alheia. Gostei bastante!

Cláudia
Sobre a autora:
 
Maratonista de bibliotecas, a Cláudia lê nos transportes públicos enquanto observa o Mundo pelo canto do olho. Defensora da sustentabilidade e do voluntariado, é tão fácil encontrá-la envolvida num novo projeto como a tagarelar sobre tudo e mais alguma coisa. É uma sonhadora e gosta de boas histórias, procurando-as em cada experiência que vive.

0 leitores reagiram:

Que pensam Encruzilhad@s?