Opinião: Os descendentes de Merlin - A Lenda do Conde Drácula", de Rita Vilela


Os descendentes de Merlin - A Lenda do Conde Drácula
de Rita Vilela


Edição/reimpressão: 2016
Páginas: 432
Editor: Clube do Autor




Resumo:
Depois de muitas aventuras e descobertas protagonizadas pelo grupo que já conhecem dos livros Os Guardiães dos Manuscritos Mágicos, A Dama do Lago e Heróis do Mar, eis mais um desafio que transportará Lina e os seus três fiéis amigos para outras eras. Mas será que têm coragem para iniciar mais esta viagem?
Muitas são as surpresas que estão reservadas àqueles que invadem as terras do Conde Drácula em busca de respostas mas só os verdadeiros guerreiros serão capazes de seguir em frente.



Rating: 2,75/5

Comentário: Aventuras e adolescentes representam a fórmula mágica dos livros da minha infância, ou não me tivesse iniciado no mundo da leitura através d' Os Cinco. Uma Aventura, Clube das Chaves, Os Super Quatro, o Bando dos Quatro, Detective Maravilha, Viagens do Tempo.. li-os todos e todos engrandeceram muitas horas entre aulas e nas férias. E é por esse motivo que me entusiasmei por ver mais um livro de Rita Vilela publicado. O facto de haver continuadamente novas histórias a surgirem no mercado para os mais novos só pode ser benéfico, especialmente porque estas acompanham um toque de modernidade que as insere no seu tempo actual.
"A Lenda do Conde Drácula" é o quarto volume da colecção "Os descendentes de Merlin", que em cada volume acaba por abordar quase que uma aventura temática. Optei por lê-lo por altura do Halloween, exactamente quando este me chegou a casa, por não ter nada mais indicado para celebrar a ocasião.
Há uma série de pequenos elementos que me agradaram neste volume. Uma viagem atribulada que desmistifica uma Europa de há 20 anos para a presente, um grupo de miúdos com personalidade própria e diferenciada e curiosidades sobre diversas temáticas são os pontos fortes em que se baseia este exemplar. No entanto, julgo que a autora terá de acertar no discurso incutido à narrativa. Sendo juvenil, mas já com personagens na universidade a aproximarem-se da idade para o fazer, muitas vezes ouvi nas suas vozes jovens de 14 anos e essa discrepância fez-me alguma confusão na leitura do panorama geral. Há outros pequenos pormenores respeitante à narrativa que acompanha todos os livros e se mantém constante que por vezes se torna peculiar. Julgo que os jovens hoje em dia são cada vez mais difíceis de convencer, mesmo quando se trata do mundo fantástico e as respostas para as suas perguntas poderão ficar um pouco mais claras ao longo dos próximos volumes e à medida que se for desvendando o mistério. E julgo que os adultos terão de ter uma voz mais adequada futuramente, uma vez que surgem pouco credibilizados.
A narrativa do Drácula, ainda que confesso que não foi a que esperava, foi a que me divertiu ao longo de toda a narrativa, e o livro poderia ter sido somente dedicada a ela. Com um toque de mistério e aventura, despertou a curiosidade para o desenrolar da acção até ao fim e manteve-me atenta aos próximos procedimentos das personagens.
Julgo que estão plantadas as sementes que poderão reforçar uma narrativa de sucesso nos próximos volumes, e aguardo por ver estas personagens amadurecerem à medida que são confrontadas com os próximos desafios e o com o que eles possam ou não comprometer na protecção nos descendentes de Merlin!
                                          

Cláudia
Sobre a autora:
 
Maratonista de bibliotecas, a Cláudia lê nos transportes públicos enquanto observa o Mundo pelo canto do olho. Defensora da sustentabilidade e do voluntariado, é tão fácil encontrá-la envolvida num novo projeto como a tagarelar sobre tudo e mais alguma coisa. É uma sonhadora e gosta de boas histórias, procurando-as em cada experiência que vive.

0 leitores reagiram:

Que pensam Encruzilhad@s?