Desafios de Leitura: sim ou não?



Quem nos segue por aqui já deve ter reparado que não somos de aderir ou realizar Desafios de Leitura. Não tenho nada contra eles, mas leituras controladas a mim aborrecem-me, e o sentido de obrigação que acaba inerente ao processo constringe-me. Mesmo escolhendo dentre das temáticas, quando se calhar não me apetece ler nada que se enquadre nas mesmas, soa-me a leitura por castigo e retira-me o prazer de um dos passatempos que tem feito parte dos meus tempos livres desde sempre, Por isso mais surpreendidos ficarão ao saber que decidi juntar-me a dois desafios que me auto-propus.
A escolha de aderir a estes passatempos teve uma razão maior, e que decorre precisamente de querer aumentar a minha cultura geral e ter uma visão mais multidisciplinar do Mundo. Ainda assim, tanto uma como outra meta serão relegadas para um desafio para a vida, sem definições temporais ou pressões de continuidade.

Mas afinal a que desafios me proponho?

1. Ler um livro de cada um dos laureados e laureadas com o Nobel da Literatura. Não me quero tornar entendida em literatura, mas cultura geral nunca é demais e o reconhecimento dado aos au tores e autoras dentro deste género comprovam uma validade de conteúdo enriquecedor que ainda não me passou pelas mãos.

2. Ler um livro de cada país do Mundo. Mais ou menos. Conhecem o projeto "A Year Reading the World"? Vi esta conversa no Ted Talk no ano passado e achei um projeto super curioso. Deste modo, decidi que também eu iria iniciar uma rota literária internacional, passando numa primeira fase por ler um livro de um autor de cada nacionalidade, e posteriormente, um que decorra geograficamente em casa país da mesma lista. 
Confesso que tive aqui alguma preguiça e adoptei como listagem final aquela desenhada pela Ann Morgan, para me poupar a alguns dramas geopolíticos.


Depois, e a propósito deste video da Mel do Literature-se, fui ver as minhas estatísticas de leitura de 2015. Por muito que me considere feminista, não sinto que deva ler mais livros de mulheres do que homens, a não ser pelo enredo. É uma sinopse que me faz escolher um livro, não o género do seu criador ou sua criadora. De qualquer forma, fiquei agradada por saber que tinha lido 52% de livros escritos no feminino, porque partindo ainda do pressuposto de uma experiência de leitura mais enriquecedora, ter um balanço de género, de visões que querendo ou não acabam por ser diferenciadas. Cheguei também à conclusão que vi autores de mais nacionalidades do que as que estimava, incluindo diversos australianos, 
Voltando ao projecto do ler o mundo, a verdade é que a minha contabilização no final de 2015 dava-me autores de um total de 18 nacionalidades, mais do que as que achava ter lido, mas do que as lidas inicialmente pela autora do projeto, E isso, em muito se deve ao nosso pequeno mas diversificado mercado editorial. É um ponto positivo a apontar-lhe, se não analisarmos para além desta referência.

Entretanto, descobri também o Book Riot Read Harder Challenge 2016, o qual estou a seguir mas não aderi, porque tem das categorias mais originais que já vi até agora. Acho que no final do ano passarei por lá para ver se li algo que se encaixe no desafio, mas não vou realizar o exercício inverso.




E vocês, a que tipo de desafios aderem e quais estão a cumprir? Boas leituras!

 Cláudia
Sobre a autora:

Maratonista de bibliotecas, a Cláudia lê nos transportes públicos enquanto observa o Mundo pelo canto do olho. Defensora da sustentabilidade e do voluntariado, é tão fácil encontrá-la envolvida num novo projeto como a tagarelar sobre tudo e mais alguma coisa. É uma sonhadora e gosta de boas histórias, procurando-as em cada experiência que vive.

3 leitores reagiram:

  1. Pessoalmente não consigo aderir a desafios...gosto de ler o que me apetece, quando me apetece, ao meu ritmo...se for condicionada tira-me praticamente todo o prazer :D Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É exactamente como eu Framboesa, por isso é que designei estes como desafios para a vida, para ir fazendo quando me apetece e ao longo dos anos:)

      Eliminar
  2. Olá Cláudia,
    I'm with you. Gosto cada vez menos de desafios. Gosto de ler por prazer...o que me apetece. Acho que vou repensar os desafios para o ano :)
    Beijinhos e boas leituras

    ResponderEliminar