O Quarto Mágico de Sarah Addison Allen

O Quarto Mágico
de Sarah Addison Allen

Edição/reimpressão: 2009
Páginas: 278
Editor: Quinta Essência

Resumo:
A vida pode ser ainda mais doce do que o melhor dos sonhos.
Josey Cirrini tem a certeza de apenas três coisas na vida: O Inverno é a sua estação preferida; está perdidamente apaixonada; e um doce sabe muito melhor quando degustado na privacidade do seu esconderijo secreto. Enfrentando uma vida triste, o seu único consolo é a sua pilha de doces e romances a que se entrega todas as noites… Até que descobre que no roupeiro se esconde nada mais nada menos que Della Lee Baker. Fugindo a uma vida de má sorte, Della Lee decide ajudar Josey a mudar de vida. E, em breve, a jovem renunciará às guloseimas e descobrirá que, mesmo sem elas, a vida pode ser doce.
Influenciada põe Della Lee, Josey trava amizade com Chloe Finley, uma jovem que é perseguida por livros que surgem inexplicavelmente nos mais variados lugares e com uma resposta para quase tudo.
À medida que Josey se atreve a sair da sua casca, descobre um mundo onde a cor vermelha tem um poder surpreendente e o amor pode surgir em qualquer altura. E isso é só o início… 

Rating: 4/5


Comentário: Quem nos segue há algum tempo sabe que eu gosto de variar as minhas leituras, e assegurar diferentes estilos. Ainda assim, um que nunca me convenceu é o chamado romance feminino. Pelo menos aquele mais tradicional. De modo que eu ter gostado tanto de "O Quarto Mágico" foi uma grande surpresa. Se bem que não parece difícil gostar de um livro em que uma das personagens principais gosta de livros e chocolate.
Josey é uma rapariga bastante feminina abafada pelas ideias controladoras da mãe e muito sonhadora. Planeia voar para fora de casa um dia mas não acredita totalmente que alguma vez isso se venha a concretizar. É doce, sensível mas também abespinhada com a realidade que lhe impõem e digna de opiniões fortes. As relações que estabelece com qualquer uma das personagens vão evoluindo positivamente e vamos ganhando a hipótese de conhecer as suas histórias, geralmente bastante simples mas muito bem descritas.
 Não me vou alongar no que diz respeito ao enredo porque não gosto de cortar a surpresa da leitura. De qualquer forma, a premissa era bastante interessante e permitiu-me passar uns momentos muito agradáveis. E dar umas valentes gargalhadas. Não sei quanto a vocês, mas a ideia de ter alguém a viver no meu armário e ainda por cima armada em casamenteira parece-me bastante abstracto. Primeiro, porque não tenho espaço, segundo, porque mesmo que o tivesse não lidaria de forma tão acomodada como Josey. Quer-se dizer, não é o mesmo que ter um animal de estimação. Mas Della Lee não pões os pés fora daquele espaço a não ser que seja de noite e ande a atazanar a vida da governanta, que nunca a vê mas dá pela sua presença ao encontrar coisas anteriormente arrumadas fora de sítio. É louca, divertida, incómoda, não convencional, e por isso mesmo, aquela amiga que gostávamos de ter perto em dias mais amarelos.
Não sou de todo fã da presença de algum lado mais místico mas ainda assim o motivo pelo qual ele foi aplicado neste livro acaba por ser bastante aceitável e até passar despercebido. É acima de tudo um livro sobre histórias e que acabam por chegar a uma concretização mais ou menos completa (gostava de saber qual o resultado daquela última carta..), que se lê rapidamente numa tarde (para quem tenha tempo).

1 leitores reagiram:

  1. Tmb já li este, aliás já li todos da autora. Mas este foi um dos que mais gostei.

    ResponderEliminar