Amazon e a Biblioteca Paga

Há cinco dias atrás a Amazon anunciou que irá oferecer aos seus leitores um novo serviço chamado Kindle Unlimited. Este serviço propõe que através de uma taxa mensal ou anual, os leitores tenham acesso a ebooks que são vendidos através do site da empresa. O que faz da Amazon a terceira empresa a oferecer este serviço, estando este já disponível através da Oyster e do Scribd.
Vários leitores já se insurgiram contra o Kindle Unlimited que não só pretende ganhar dinheiro através de um serviço que as bibliotecas oferecem gratuitamente como também não paga aos autores tão bem como algumas bibliotecas pagam. (No Reino Unido e nos Estados Unidos as bibliotecas não só pagam mais pelos livros que compram como pagam uma taxa aos autores de cada vez que um livro é requisitado.)
Um repórter do USA Today que decidiu avaliar o serviço da Amazon concluiu que além do facto de se poder ler os livros / audio livros em 6 dispositivos simultaneamente e de a Amazon ter as melhores aplicações para leitura, não há muitos livros pelos quais escolher. Da biblioteca de 600,000 livros (dos quais alguns são clássicos já disponíveis gratuitamente e outros são livros de autores completamente desconhecidos) apenas 6 livros fazem parte da lista de 75 leituras que o repórter achou que seriam actuais e que deveriam estar presentes para o serviço ser considerado bom (por exemplo Os Jogos da Fome e Harry Potter). O repórter afirma que isto se deve ao facto de a Amazon não ter disponível livros de duas das maiores editoras americanas: HapperCollins e Simon & Schuster.
Os outros dois serviços de ebooks ilimitados oferecidos pela Oyster e Scribd (que custam os mesmos 10$ por mês que a Amazon) já oferecem 17 livros da lista e possuem livros da HapperCollins e Simon & Schuster no seu catálogo. O que os torna mais atractivos apesar de a Oyster apenas estar disponível para utilizadores Mac e o Scrib maioritariamente no pc.
O repórter acaba no entanto a sua opinião com a esperança que, tal como serviço Amazon Prime evoluiu para ter mais e melhores filmes e series, também o Kindle Unlimited evolua e possua, daqui a algum tempo, todos os livros que desejamos ler. E pensar que por 8 euros mês poderíamos ler livros acabados de editar se revela algo interessante. E se quiserem experimentar o serviço o primeiro mês é gratuito!
Num mundo que está constantemente a evoluir e depois de todos os artigos que falam das bibliotecas e que temos publicado é normal que uma pessoa se questione sobre o poder das bibliotecas e se as mesmas não estarão realmente a desaparecer lentamente.
Apesar de parecer que o desaparecimento das bibliotecas irá acontecer tenho a dizer que, pelo menos no Reino Unido, as bibliotecas já possuem catálogos on-line de onde posso requisitar ebooks e audio-books gratuitamente e que, apesar de não representarem toda a oferta da biblioteca física, já começam a rivalizar com os serviços da Amazon, Oyster e Scribd. Alem disso se ficar doente e/ou não puder sair de casa a minha biblioteca local tem um serviço de entrega gratuita de livros ao domicilio.
Aléem do mais as bibliotecas continuam a ser um ponto de encontro e onde outras actividades se podem desenvolver, estão também mais perto do publico e, apesar de alguns acharem que estão a desaparecer, não me parece que este seja o caso. Por aqui a única situação em que compraria uma subscrição de um serviço ilimitado de livros seria se efectivamente tivesse acesso a todos os livros que quisesse incluindo lançamentos recentes mas acredito que mesmo continuaria a comprar livros físicos.




Ki
(Catarina)
Sobre a autora:Bibliófila assumida e escritora de domingo. Gosta de livros e tudo o que esteja relacionado com eles, tem a mania que tem opiniões sobre coisas e gosta de as expor no seu blog conjunto Encruzilhadas Literárias, tem também uma conta no GoodReads e é das melhores coisas que já lhe aconteceu.

0 leitores reagiram:

Que pensam Encruzilhad@s?