Opinião: A vida é fácil, não te preocupes


A vida é fácil, não te preocupes
de Agnès Martin-Lugand
 
Edição/reimpressão: 2016
Páginas: 232
Editor: Suma de Letras Portugal
  



Resumo: 
É em "Pessoas felizes lêem e bebem café", o seu refúgio, que Diane conhece Olivier. É simpático, atencioso e, sobretudo, compreende e aceita a sua recusa em ser mãe de novo. No entanto, um acontecimento inesperado muda tudo: as certezas de Diane, as suas escolhas, pelas quais tanto lutou, vão entrar em colapso, uma após a outra. Será que tem a coragem necessária para aceitar um outro caminho?
Rating: 1,5/5

Comentário:  "A Vida é Fácil, Não te Preocupes" é a continuação de "As Pessoas Felizes Lêem e Bebem Café", livro que teve alguma visibilidade no mercado nacional devido a algumas campanhas publicitárias na televisão. Apesar deuma sequela, não acho que seja necessário a leitura do livro antecedente atendendo que são realizadas várias alusões ao passado que incluem os elementos necessários para acompanhar este enredo.
O livro é pequenino, a escrita ligeira e o enredo encadeado de forma fluída, pelo que a leitura se torna fácil de acompanhar. Estes aspectos são aqueles que consigo apontar como positivos, atendendo a que este não é, de todo, um livro para mim.
Foi-me difícil ganhar afinidade com Diane, e a sua relação desencadeada com Olivier foi inverosímel, apressada e pouco sentida na minha percepção, especialmente atendendo às minhas suspeitas desde o início da trama e que só vieram a ser confirmadas. Mais do que isso, a falta de uma construção sólida fez-me torcer o nariz por diversas vezes, tornando o conteúdo seguinte irrelevante.
As relações entre as personagens pareceram-me bastante ocas, os diálogos despropositados, os momentos de maior tensão dramatizados em excesso ou pouco explorados, e a ausência de um elemento unificador (que deveria ser representado pela Diane e pela sua história) foi gritante, pelo que o encadeamento de cenas foi marcado explicitamente para dar origem ao final previsível. Valeu-me o papel de uma personagem infantil que criou alguns elementos de ternura (e que mesmo sendo mais uma vez forçados, possibilitaram que fechasse os olhos temporariamente às falhas constantes), levando-me a querer saber um pouco mais sobre ela durante alguns minutos. De resto, confesso que foi uma leitura frustrante que quis terminar brevemente, e que explicará que não vos consiga dar senão uma opinião suscinta, de forma a não revelar aspectos do enredo a quem queira acompanhar a evolução (a existir) destas personagens.

 
Cláudia
Sobre a autora:
 
Maratonista de bibliotecas, a Cláudia lê nos transportes públicos enquanto observa o Mundo pelo canto do olho. Defensora da sustentabilidade e do voluntariado, é tão fácil encontrá-la envolvida num novo projeto como a tagarelar sobre tudo e mais alguma coisa. É uma sonhadora e gosta de boas histórias, procurando-as em cada experiência que vive.

1 leitores reagiram:

  1. Não li o livro anterior, mas fiquei bastante interessada em ambos (talvez mais neste segundo).
    Obrigada pela sugestão!!

    Adorei o teu blog!!! Já ganhaste mais uma leitora assídua por aqui!!! Convido-te a visitares também o meu!!
    Até lá!!
    http://thebooksonmyshelfs.blogspot.pt/

    ResponderEliminar