Trilogia Mundos Paralelos, de Philip Pullman



A trilogia Mundos Paralelos foi uma boa companhia para mim aqui há uns anos, continuando a ser dos meus livros preferidos e que de tempos a tempos releio. Concebido para um público mais velho, foi inicialmente publicado em Portugal como pertencente à colecção Estrela do Mar, direccionado portanto a um público juvenil; provavelmente porque o mundo fantasista criado veio emblemáticamente, de forma diferente claro, arrebatado pela euforia criada em torno de Haary Potter na altura.. No entanto, e pelas temáticas envolventes surgiu posteriormente publicado numa outra colecção direccionada a um público alvo mais adulto.



Tal como o nome indica, os livros Os Reinos do Norte, A Torre dos Anjos e o Telescópio de Âmbar; retratam a existência de mundos paralelos, onde há uma coexistência de pessoas que podem ou não ser semelhantes. Demonstra também que alterações a nível do campo magnético, que podem dar origem (juntamente com outros factores) ao surgimento de brechas entre os diferentes mundos.

Relativamente ao enredo, a trilogia dá-nos conta de uma história criada em volta de uma rivalidade entre a religião e a ciência, a crença e a inovação, dando especial ênfase a um acontecimento muito importante: a transformação da infância para a adolescência (e às transformações que ocorrem ao Pó, algo que os cientistas crêem estar relacionado com o destino e as decisões que tomamos a partir do momento em que se atinge a puberdade).




Aviso: SPOILERS
Edição/reimpressão: 2001
Páginas: 368
Editor: Editorial Presença


Reinos do Norte: A história decorre num mundo muito idêntico ao que nós vivemos, embora o ambiente criado nos dê a sensação que que a época histórica corresponde há uns séculos atrás. Cada pessoa possui um génio, sob a forma de um animal, que faz parte de si (sendo que longas distancias entre ambos causam dores muito agoniantes). Os génios têm a capacidade de se transformar, atingindo a sua forma definitiva ao mesmo tempo que as pessoas atingem a puberdade.
A personagem principal deste livro é Lyra, uma rapariga que vive num colégio de universitários, sendo ensinada nas horas livres pelos professores. Ao ouvir uma conversa do seu tio, Lord Asriel, com o responsável pelo colégio, fica curiosa quanto a vida existente no Norte, onde sempre faz muito frio. Com a aproximação da idade da adolescência, Lyra recebe um convite para ir viver com uma senhora da alta sociedade, Sra. Coulter, que pretende educá-la. No entanto, ao descobrir uma verdade macabra sobre essa senhora de sorriso afável e actuação fria e racional, Lyra foge e, juntamente com os ciganos, parte para o Norte para salvar várias crianças, incluindo o seu melhor amigo Roger, de um futuro horrível. Ao longo de toda a aventura, Lyra irá travar conhecimento com várias personalidades fortes que estarão a seu lado para protegê-la e fazer cumprir uma profecia escrita sobre si há muito tempo atrás.

Excerto: “ -Querida, nunca ninguém sonharia fazer uma operação numa criança sem a testar primeiro. E ninguém em mil anos tiraria simplesmente o génio a uma criança! A única coisa que acontece é um pequeno corte e então tudo fica calmo. Para sempre! Percebes, o teu génio é um amigo e um companheiro maravilhoso. Quando se é novo, mas na idade a que chamamos puberdade, uma idade a que tu chegaras muito em breve, querida, os génios trazem todo o tipo de pensamentos e sentimentos problemáticos e é isso que deixa o Pó penetrar. Uma pequena e rápida operação antes dessa fase e nunca mais se tem problemas. E o teu génio fica contigo, só que…não ligado. Como se fosse um…um maravilhoso animal de estimação, se quiseres. O melhor animal de estimação do mundo! Não gostavas disso?”Página 264

Edição/reimpressão: 2002
Páginas: 292
Editor: Editorial Presença

A Torre dos Anjos: Inicialmente, a história passa-se no nosso mundo, dando a conhecer Will, um rapaz que vive com a mãe, que tem algumas perturbações mentais. Ao começar a receber ameaças de homens desconhecidos que pretendem obter algo relacionado com o seu pai, dado como morto ao ter desaparecido numa expedição ao Norte, Will deixa a mãe ao cargo de uma antiga professora de piano e foge, com medo da segurança social e da policia. Mais tarde, ao encontrar uma brecha para outro mundo, decide esconder-se. Aí, trava conhecimento com Lyra, que decide ajuda-lo a encontrar o seu pai. Entretanto, depois do Lord Asriel abrir uma brecha para outro mundo com as suas próprias mãos, a Igreja declara-lhe guerra aberta.

Excerto: “ Will saiu do quarto e inspeccionou os outros: uma pequena casa de banho, um quarto com cama de casal.
Algo fez com que a sua pele se arrepiasse antes de abrir a ultima porta. O coração disparou. Não tinha a certeza se tinha ouvido um som lá dentro ou se algo lhe disse que aquele quarto não estava vazio. Pensou como era estranho que aquele dia tivesse começado com alguém do outro lado do quarto escuro, com ele lá dentro, e agora a posição se tivesse invertido…
Ficou por um momento interrogando-se até que, de repetente, a porta se abriu e algo se lançou sobre ele como se fosse um animal selvagem.
Porém, a recordação da sua própria experiência tinha-o posto de sobreaviso e não estava suficiente perto para ser derrubado. Lutou violentamente; joelho, cabeça, punhos, a força dos seus braços contra ele, ela, aquela coisa…
Uma rapariga, mais ou menos da sua idade, feroz, rosnando, com roupas andrajosas e braços e penas nus.
Ela percebeu o que Will era ao mesmo tempo que ele e afastou-se violentamente daquele peito nu, para se acocorar no canto escuro da escada como uma gata acossada.”
Páginas 27 e 28


Edição/reimpressão: 2003
Páginas: 470
Editor: Editorial Presença

O Telescópio de Âmbar: Dra. Malone, uma cientista do mundo de Will que conheceu Lyra, parte em busca de novas pistas sobre o Pó, encontrando os Mulefa, criaturas pacificas que tem a capacidade de ver o Pó sem recorrer a nenhuma técnica. Por sua vez, um padre é encarregue de a matar, para evitar que ela descubra o que procura e desencadeie o processo da serpente sobre a nova Eva. Enquanto isso, cada um com as suas razões, Lyra e Will decidem abrir uma fenda para o mundo dos mortos, não sabendo se alguma vez irão regressar, e vivos.
A guerra entre a Igreja e a Ciência está prestes a começar.



Excerto: “-Tenho fome – disse Will.
-Eu também - acrescentou Lyra, embora estivesse a sentir muito mais que fome, algo reprimido e pressionando, meio feliz e meio doloroso, de modo que Lyra não tinha a certeza do que sentia.
Desdobraram o pano e comeram um pouco de pão e queijo. Por qualquer razão as suas mãos estavam lentas e desajeitadas e mal saborearam a comida apesar de o pão estar farinhento e estaladiço devido às pedras quentes onde era cozido, e de o queijo ser macio, salgado e muito fresco.
Então Lyra pegou num daqueles pequenos frutos vermelhos. Com o coração batendo depressa, virou-se para Will e chamou:
-Will…
E levou, meigamente, o fruto aos lábios dele."

Páginas 419 e 420

8 leitores reagiram:

  1. Tenho que confessar que comecei a ler e não me cativou... mas eu sou esquisita =op

    ResponderEliminar
  2. Estes livros marcaram-me isso quando os li. Estava na fase Harry Potter e lembro-me que me senti completamente fascinada pela Lyra e pelos Mundos Paralelos!
    São, ainda hoje, uns dos meus livros preferidos e fiquei com uma vontade imensa de os reler!

    ResponderEliminar
  3. Olá de novo Cláudia,
    venho apenas deixar a informação que consegui requisitar a trilogia Mundos Paralelos na biblioteca de São Domingos de Rana. Fica a partilha para quem interessar. Pena a biblioteca não ter a trilogia completa dos Jogos da Fome, também estou interessada.
    Sugeres mais alguma T?
    Agradeço desde já a atenção.
    Abraço.
    Rute

    ResponderEliminar
  4. Olá Rute!

    Segue o grupo Cultura no Muro no Facebook. Se eles por algum motivo não realizarem a feira de trocas, avisam por lá (para além de terem uma série de boas iniciativas). Fugindo à dinâmica dos livros, se és da Parede, já conheces o Cinema Oceano? Vale a pena. Ainda não tive a oportunidade de lá ir pessoalmente, mas quero muito ;)

    Não sabia que eles estavam em São Domingos de Rana. Quer dizer, se calhar estavam na secção infanto-juvenil (apesar de não serem livros para crianças). Confesso que a organização daquela biblioteca por vezes me baralha.

    Não sei se a Biblioteca de Oeiras terá a Trilogia dos Jogos da Fome completa mas é capaz, geralmente o Munícipio vizinho compra livros para as bibliotecas dele com mais frequência. (Fui agora confirmar ao catálogo e em Oeiras está completa).

    Não sei se já leste o Divergente e o Insurgente de Veronica Roth mas vale a pena. De qualquer forma, e ainda que possa não parecer pelo primeiro livro, a trilogia dos Mundos Paralelos é a mais adulta e complexa, pelo que nem os Jogos da Fome ou o Divergente se enquadram muito nesse cenário. São de qualquer forma livros que valem a pena.

    Qualquer outra pergunta e sugestão de leitura, e para ser mais rápido, podes contactar-nos para o nosso email: encruzilhadas.literarias@gmail.com ou por mensagem na nossa página do Facebook.

    Respondemos sempre a todos os comentários, mas por vezes pode falhar-nos algum :)

    ResponderEliminar
  5. Olá de novo,
    antes demais quero agradecer-te muitíssimo. Desconhecia por completo o movimento Cinema Oceano mas senti-me atraída de imediato.
    Entretanto descobri o site http://www.culturanomuro.pt/, ficarei atenta aos eventos. Obrigado.
    Quanto à trilogia Mundos Paralelos, sim, estava na secção infanto-juvenil, apesar de eu ter questionado na secção adultos, mas depois reencaminharam-me para lá. Estou de momento a ler o 2ºlivro e a gostar bastante, não li o 1º porque vi o filme.
    Até mais (no outro post dos Jogos da Fome).
    Rute

    ResponderEliminar
  6. Ah, mas devias ler o primeiro livro. Há uma série de coisas que passam despercebidas, sem falar que o grande climax do livro mesmo no fim foi cortado do filme porque eles não sabiam se iriam fazer outro e assim deu um ar meio que de esperança em vez daquele sentimento do "não acredito!!" com que quem o leu ficou ;)

    ResponderEliminar
  7. Bom dia Cláudia.
    Terminei o 2ºlivro e vou a 1/3 do 3º. Estou a gostar bastante mais deste, embora não tenha desgostado da Torre dos Anjos. Estou tentada em ler o 1º conforme sugeriste, mas confesso que tenho alguma dificuldade por já saber a história.
    É uma pena só terem adaptado o 1ºvolume da trilogia ao cinema. Li que o possível sucesso do filme Bússola Dourada foi boicotado por aqueles que o acham uma afronta à religião. Eu encontrei o filme por acaso no vídeo clube, gostei da beleza das imagens e em especial gostei da existência do gênio que para aqueles que acreditam, é a alma.
    Entretanto descobri que a trilogia MP tem outra trilogia entrelaçada:
    A Oxford de Lyra
    Era uma vez no Norte
    O livro do Pó (lançamento em 2013).
    Beijinhos.
    Rute

    ResponderEliminar
  8. Olá Rute,

    O terceiro para mim será sempre o melhor. Quanto ao filme, já se sabe como funcionam estas coisas, especialmente nos EUA, onde a classe conservadora ainda tem muita força :)
    Já conhecia mas por acaso ainda não tinha adicionado à minha lista. Obrigada!

    Beijinhos

    ResponderEliminar