Trilogia "Os Jogos da Fome" por Suzanne Collins

Na semana em que nos Estados Unidos, por cada dólar gasto em livros, Suzanne Collins arrecadou quatro cêntimos (algo como três cêntimos por cada euro), o Encruzilhadas resolveu comentar a trilogia d'Os Jogos da Fome.
Tanto eu, Ki, como a Cláudia já lemos a trilogia completa. De momento a Cláudia está a acabar de coleccioná-la pois ainda não tem o terceiro volume, já eu já cá tenho a minha trilogia completa e com umas capas todas giraças. Assim sendo vamos fazer um comentário da trilogia no geral, fazendo pequenas chamadas de atenção para alguns pontos em certos livros.
Sigam-nos nesta aventura então Tributos, enquanto eu e a Cláudia descortinamos este mundo fantástico que é o dos Jogos da Fome.
Resumos (retirados do site da Presença):
Os Jogos da Fome
Num futuro pós-apocalíptico, surge das cinzas do que foi a América do Norte, Panem, uma nova nação governada por um regime totalitário que a partir da megalópole, Capitol, governa os doze Distritos com mão de ferro. Todos os Distritos estão obrigados a enviar anualmente dois adolescentes para participar nos Jogos da Fome - um espetáculo sangrento de combates mortais cujo lema é «matar ou morrer». No final, apenas um destes jovens escapará com vida… Katniss Everdeen é uma adolescente de dezasseis anos que se oferece para substituir a irmã mais nova nos Jogos, um ato de extrema coragem… Conseguirá Katniss conservar a sua vida e a sua humanidade?
ATENÇÃO DAQUI PARA A FRENTE OS RESTANTES RESUMOS TERÃO SPOILERS
Em Chamas
Pela primeira vez na história dos Jogos da Fome dois tributos conseguiram sair da arena com vida. Mas o que para Katniss e Peeta não passou de uma estratégia desesperada para não terem de escolher entre matar ou morrer, para os espectadores de todos os distritos foi um acto de desafio ao poder opressivo do Capitólio. Agora, Katniss e Peeta tornaram-se os rostos de uma rebelião que nunca esteve nos seus planos. E o Capitólio não olhará a meios para se vingar… 

A Revolta
Katniss Everdeen não devia estar viva. Mas, apesar dos planos do Capitólio, a rapariga em chamas sobreviveu e está agora junto de Gale, da mãe e da irmã no Distrito 13. Recuperando pouco a pouco dos ferimentos que sofreu na arena, Katniss procura adaptar-se à nova realidade: Peeta foi capturado pelo Capitólio, o Distrito 12 já não existe e a revolução está prestes a começar. Agora estão todos a contar com Katniss para continuar a desempenhar o seu papel, assumir a responsabilidade por inúmeras vidas e mudar para sempre o destino de Panem - independentemente de tudo aquilo que terá de sacrificar…

Classificação: 4/5 Estrelas
Comentários:
Ki :
Recebi o primeiro volume da trilogia d'Os Jogos da Fome pelos meus anos em 2010, a pessoa que mo ofereceu perguntou-me três vezes se eu tinha a certeza que queria o livro pois não era nada a minha cara. No entanto o livro estava a fazer furor no GR e estava na minha wishlist há já algum tempo e por isso decidi arriscar. Acabou por se revelar uma excelente decisão.
Gosto de livros que falem de irmãs mais velhas porque sou uma e como irmã mais velha sinto-me maltratada em praticamente tudo o que são histórias. Sou sempre retratada como má, ausente, descrente, egoísta e senhora de mim mesma. Isso irrita-me porque eu não sou assim, nem me identifico com estas irmãs mais velhas que sem dúvida acabam apenas por ser um espelho das irmãs más da Cinderela e de todas as outras irmãs más dos contos de fadas.
Foi aqui que a Katniss me cativou. Irmã mais velha, meia-rebelde, independente mas ligada à família e que se preocupa verdadeiramente com a sua irmã mais nova, Prim.  No mundo de Katniss todos os jovens entre os 12 e os 18 anos estão em perigo de vida, um perigo chamado de Jogos da Fome, um jogo cruel de luta até à morte onde os jovens são obrigados pelo Estado a entrar.
O único desejo de Katniss é que a irmã esteja segura e esse desejo é esmagado quando a irmã é sorteada para os jogos, num acto de estrema coragem ela oferece-se para ir no lugar da irmã. Ao longo da trilogia esta decisão de Katniss vai segui-la pois vai moldar toda a sua vida de formas que ela jamais imaginaria, nunca vemos Katniss arrependida da sua decisão pois como irmã mais velha, ela sente que fez o que o coração lhe ditava, proteger a sua irmã.
A trilogia é crua, dura e mostra o quão indiferentes as pessoas se podem tornar aos reality shows. O Capitólio, a parte directamente ligada ao Estado, vê estes jovens matarem-se e aplaude. Para eles tudo não passa verdadeiramente de um jogo enquanto dentro da Arena, os jovens lutam para manter a sua vida, a sua sanidade e a sua humanidade. Muitos deles são crianças que apenas querem voltar para casa e para a segurança de uma vida que apesar de não ser perfeita é a única que conhecem.
Não será efectivamente uma novidade que Katniss sobrevive a estes jogos, pois os livros são contados na primeira pessoa sendo ela a narradora. A maneira como testemunhamos a sua evolução, porém, é por vezes devastadora. Ver uma rapariga tão nova e que até era feliz, dentro do que podia, ser quebrada uma e outra vez e a reconstruir-se de todas as vezes mostra-nos uma força interior que nos deve inspirar a ir mais além, a nos superarmos a nós mesmos e não nos deixarmos cair na posição de vítima.
A minha única crítica vai para o fim da série que me pareceu romantizado demais e explicado de menos e para o último livro, onde Katniss anda um pouco perdida e se torna um pouco complicado perceber o que ela está verdadeiramente a pensar e o porquê que ela age da maneira que age. Parece-me assim um pouco desconjuntado da série e lembro-me que demorei muito mais tempo a ler A Revolta do que Os Jogos da Fome e o Em Chamas.
Os Jogos da Fome são uma série de acção com um pouco de romance e muito suspense. Uma leitura sem dúvida unisexo e que pode ser aconselhada a jovens, não muito impressionáveis, pois chama a atenção para alguns problemas da nossa sociedade como a indiferença e a precariedade. Uma leitura sem dúvida recomendada!

Cláudia: Eu vim a reboque da opinião da Catarina, já que ela me falava tanto dos livros que me vi a comprar o primeiro volume sem saber ao certo o que estava a trazer para casa e porquê. E ainda bem que o fiz. É difícil descortinar o que é que uma história que envolve revolta, revolução, luta pelos Direitos Humanos consegue fazer para chegar até junto de tantas pessoas que têm adorado esta trilogia. Contrariamente ao que muitos dizem por aí, não é só pelo romance e pseudo-triângulo criado pelo meio (embora não deixe de ser uma parte importante). Diz respeito ao sentido humano que existe em cada um de nós e à força de vontade e capacidade de nos superarmos perante as adversidades, diz respeito ao amor pelo próximo e ao sacrifício pelo bem comum, diz respeito à luta contra a tirania, o preconceito e o poder desmedido. Tudo isto através de uma juventude atenta e pró-activa.
A trilogia dos Jogos da Fome foi sem dúvida uma surpresa, condensada num número bastante ínfimo de páginas encontramos uma intensidade brutal que nos agarra do início ao fim e nos deixa o coração aos saltos.

2 leitores reagiram:

  1. Ora bem, cá estou eu, vinda do post Mundos Paralelos (passei por um portal, ih ih ih). Isto porque achei melhor falar dentro do artigo respetivo:
    Então não é que tivemos transmissão de pensamento pois antes de ler a tua resposta, havia pesquisado no site da CM Oeiras sobre a Trilogia Jogos da Fome. Encontrei-a na Biblioteca de Algés. Ainda não fui lá porque primeiro quero terminar a que estou a ler, mas telefonei a saber se emprestam livros a pessoas de outro concelho e disseram que sim, basta inscrever-me normalmente.

    Quanto à Trilogia Divergente recentemente recomendada por ti, fiquei curiosa, pesquisei e cheguei à conclusão que o 3ºlivro (Allegiant) ainda não foi lançado. Pelo que acho que vou aguardar mais um bocadinho para ler tudo seguido.
    Mil agradecimentos.
    Rute

    ResponderEliminar
  2. Tu podes ter o cartão de qualquer biblioteca do país quase, desde que faças o cartão da respectiva. Eu sou aderente das Bibliotecas de Cascais, Oeiras e Lisboa, e acredita, não há nada melhor. O catálogo das Bibliotecas de Oeiras é impecável e facilita logo a seleccção da biblioteca onde queremos levantar os livros requisitados. Vale mesmo a pena tratares disso :)

    O Allegiant será publicado no original em Outubro. Estou ansiosa! :D

    ResponderEliminar