A Senhora dos Rios, de Phillippa Gregory

A Senhora dos Rios
de Philippa Gregory
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 568
Editor: Livraria Civilização Editora
Resumo:
Jacquetta é casada com o Duque de Bedford, regente inglês da França, que lhe dá a conhecer um mundo misterioso de conhecimento e de alquimia. O único amigo de Jacquetta é o escudeiro do duque, Ricardo Woodville, que está a seu lado quando a morte do duque faz dela uma viúva jovem e rica. Os dois tornam-se amantes e casam em segredo, regressando à Inglaterra para servir na corte do jovem monarca Henrique VI, onde Jacquetta vem a ser uma amiga próxima e leal da sua nova rainha.
Depressa os Woodville conquistam uma posição no núcleo da corte de Lencastre, apesar de Jacquetta pressentir a crescente ameaça vinda do povo da Inglaterra e o perigo de rivais pretendentes ao trono. Mas nem a coragem e a lealdade dos Woodville bastam para manter no trono a Casa de Lencastre. Jacquetta luta pelo seu rei, pela sua rainha e pela sua filha Isabel, para quem prevê um futuro extraordinário e surpreendente: uma mudança de destino, o trono da Inglaterra e a rosa branca de Iorque.

Rating: 4,5/5

Comentário:
Tenho algo a confessar: A família Woodville, principalmente a Jacquetta e os seus filhos tem um lugar muito especial no meu coração. Desde a Rainha Branca que sigo a história desta família e cada vez me apaixono mais por esta e espero sinceramente que a autora não me desaponte no quinto livro desta saga A Princesa Branca, no qual vai falar da vida de Elizabeth, neta de Jacquetta.
No presente livro começamos em 1430 e conhecemos Jacquetta quando ela é ainda pequena, o que é um inicio diferente ao da Rainha Branca, onde já conhecemos Elizabeth viúva e com dois filhos. Conhecemos algumas das pessoas que vão marcar a sua vida para sempre apesar de não ficarem com ela bastante tempo e encontramos o seu primeiro marido que tem para ela planos muito especiais.
O que mais gostei neste livro, e o que mais gosto nesta família, é o poder que estas mulheres tem. Não só de tomarem decisões por si só mas também de as levarem até ao fim. Falo de tomar riscos e aprender a viver com as usas consequências, sem temor e sem fugir. Quem pode resistir a uma mulher que desce de estrato social por amor? Que não prejudica mais ninguém senão ela própria para ficar com quem ama?
Só houve uma coisa que me decepcionou, foi a falta de "magia" tão vísivel na Rainha Branca, talvez se venha a descorbir que Elizabeth é mais dotada do que a mãe, ou talvez Jaquetta aqui ainda fosse muito nova e se vá sentido mais confiante à medida que a história for avançando. Mesmo assim continua a ter os mesmos elementos místicos dos descendentes de Mesulina que tanto gostei no primeiro livro.
Gregory é também, por excelência, a Rainha da época Tudor, e podemos contar com livros historicamente correctos, ainda que um pouco fantasiados, no que diz respeito às personalidades das perosnagens, dos eventos que aconteceram nas épocas em questão. Nota-se a presença de uma pesquisa intensiva que podemos sentir nas descrições e na maneira como as personagens lidam entre si.
Todos estes elementos aliados à escrita de Phillippa Gregory tornam este livro completamente irresístivel para mim. Desde que saiu em inglês no ano passado, até finalmente ter sido editado em português pela Civilização Editora, que andava a contar os dias para o ler e finalmente consegui. Agora espero apenas que para o ano, Gregory lance o quinto volume desta sua saga. Isto porque a autora anda a lançar os livros aos pares, as mesmas situações de pontos de vista diferentes da guerra. Assim sendo, o quarto volume irá contar as mesmas guerras e eventos d'A Senhora dos Rios, mas do ponto de vista de Anne Neville, sendo o seu título em inglês The Kingmakers Daughter.
Antes de acabar gostaria de dizer que a capa do livro é algo de fantástico. Sem dúvida uma das capas mais bem conseguidas que vi este ano e que acompanha mais uma obra fantástica de Phillipa Gregory sem dúvida a não perder.
  • Este é o terceiro livro da saga "Primos em Guerra" da qual já lemos também A Rainha Vermelha;
  • Apesar de ser o terceiro volume em termos de escrita, a acção passa-se antes do primeiro volume,  A Rainha Branca e da sua contra-parte A Rainha Vermelha. 

5 leitores reagiram:

  1. Estou ansiosa esperando o meu chegar! Onde você comprou??

    ResponderEliminar
  2. Estou ansiosa esperando o meu chegar! Onde você comprou??

    ResponderEliminar
  3. Olá Gabi! Eu comprei via internet numa promoção que apanhei :)

    ResponderEliminar
  4. Sortuda hein! kkk .. Eu estou "apanhando" para achar o meu! Seu blog é muito interessante! Eu o adoro!

    ResponderEliminar
  5. Boa sorte com a "caça"! E muito obrigada! Fazemos de tudo para que se sintam em casa aqui no nosso cantinho!

    ResponderEliminar