Opinião: Alanna, The First Adventure, de Tamora Pierce

Alanna, The First Adventure
de Tamora Pierce
Páginas: 274
Editor: Simon & Schuster
Resumo:
From now on I'm Alan of Trebond, the younger twin. I'll be a knight.
And so young Alanna of Trebond begins the journey to knighthood. Though a girl, Alanna has always craved the adventure and daring allowed only for boys; her twin brother, Thom, yearns to learn the art of magic. So one day they decide to switch places: Disguised as a girl, Thom heads for the convent to learn magic; Alanna, pretending to be a boy, is on her way to the castle of King Roald to begin her training as a page.
But the road to knighthood is not an easy one. As Alanna masters the skills necessary for battle, she must also learn to control her heart and to discern her enemies from her allies.

Filled with swords and sorcery, adventure and intrigue, good and evil, Alanna's first adventure begins -- one that will leard to the fulfillment of her dreams and the magical destiny that will make her a legend in her land.


Rating: 4/5
Comentário: 
 Alanna estava na minha lista do para ler há já algum tempo. Infelizmente outros livros iam surgindo e eu dava por mim a adiar esta leitura. No entanto, numa altura em que me desiludi um pouco com os livros que andava a ler e estava mais de quinze livros atrasada no meu desafio de leitura dei por mim a pensar na Alanna e no facto de o livro ser pequeno (o e-book tem mais ou menos 120 páginas).
O quarteto Song of the Lioness compõe a primeira parte de conjunto de 21 livros que através de várias personagens e épocas exploram o reino de Tortall.  O reino este que é rico em lendas, ruínas e outros detalhes que vão sendo lentamente revelados para mais tarde serem explorados. Por várias vezes, diferentes personagens fazem referências a estas lendas, contando à curiosa Alanna, detalhes interessantes e que ajudam a construir na nossa mente o seu mundo.
Cativada pelo resumo e pelas primeiras páginas, sentei-me calmamente uma tarde a ler este livro e acabei-o na tarde a seguir. A Alanna esteve comigo quase 24h, li as suas aventuras no intervalo do filme que estava a ver, enquanto esperava que a comida fizesse, antes de me deitar, no dia seguinte de manhã enquanto esperava que todos estivéssemos prontos para sair porta fora e em todos os minutos que tinha livres.
Apesar de não ser uma epopeia, temos de nos lembrar que este é um livro infanto-juvenil, Alanna é um livro que me recorda em parte As Crónicas de Narnia. Não só pela maneira como está escrito mas também pela qualidade das suas personagens. Esta é uma história que nos leva ao tempo dos cavaleiros e que apesar de não ser toda ilusão e sonhos de grandeza, pois Alanna chega a partir o braço além de encontrar personagem menos simpáticos, é uma saga que nos recorda os valores dos cavaleiros e a sua visão do mundo.
A história tem um passo rápido, no inicio da mesma Alanna tem dez e para o final já conta com catorze, o que acontece pois a narrativa salta vários anos em que a nossa heroína segue uma rotina que seria desinteressantes de acompanhar. Contudo, esta mesma narrativa pára para nos revelar momentos chave da sua vida. Gostei particularmente da maneira como o primeiro período da personagem foi tratado e de como ela descobriu o que o mesmo significava.
Este primeiro volume tem também um pouco de magia que imagino que vá ser mais usada nos livros a seguir mas que ao mesmo tempo ajuda a criar um certo misticismo. Como imaginam um volume só não me chegou e já me encontro a ler o segundo volume deste quarteto. Uma das vantagens deste primeiro volume ter sido lançado em 1983. Um livro que saí daqui com o meu selo de aprovação e de recomendação.

0 leitores reagiram:

Que pensam Encruzilhad@s?