Opinião: A Most Improper Magick, de Stephanie Burgis

A Most Improper Magick / Kat, Incorrigible
[The Unladylike Adventures Of Kat Stephenson #1]
de Stephanie Burgis
Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 256
Editor: TEMPLAR PUBLISHING 
Resumo:
At twelve years old, any proper young lady in Regency England should be sitting quietly at home, practising her embroidery and keeping her opinions to herself. But Kat Stephenson is no ordinary young lady. Kat's father may be a respectable vicar, but her late mother was a notorious witch and Kat herself is the newest target of an ancient magical Order. In the first thrilling instalment of The Unladylike Adventures of Kat Stephenson, there are highwaymen to foil, sinister aristocrats to defeat and true loves to capture for Kat's two older sisters.
 
Rating: 3/5

Opinião:
Como creio já ter dito por aqui algumas vezes tenho uma certa fascinação por livros que tenham personagens principais com o meu nome. Imagino que não seja a única, é muito fácil imaginarmos-nos no papel da personagem principal quando lemos um bom livro, mas se a personagem tiver o mesmo nome que nós é ainda mais fácil. O facto de termos o mesmo nome torna a conexão leitor/personagem mais rápida e é mais fácil ao leitor entrar na história.
Quando li o resumo de Kat, Incorrigible apaixonei-me. Uma história de magia passada na época vitoriana e como bónus uma heroína com o mesmo nome do que eu. A capa parecia ser interessante e apesar de ser um livro para audiências mais novas isso não me assustou visto que até nem desgosto dos mesmos. (Sendo a saga The Incorrigible Children of Ashton Place um bom exemplo disso.)
A história começa com um andamento meio lento e apesar de normalmente não desgostar deste tipo de livros, as crises pré-adolescentes da Kat irritaram-me um bocado. Apesar de apenas ter doze anos a nossa personagem acha-se detentora de todo o conhecimento e ao mesmo tempo abafada pelas suas irmãs mais velhas e pela madrasta. Creio que se puser as coisas em prespectiva posso dizer que a Kat está bem escrita como a adolescente que é mas que isso, infelizmente, acaba por ser um pouco aborrecido.
Acho que o facto de ser a irmã mais velha de cinco me torna um pouco suspeita visto que tive de aturar os meus quatro irmãos a passarem as suas fases adolescentes e já não me sinto com muita paciência para ler sobre  essa fase em particular. No entanto, à medida que o livro avança, Kat parece ficar mais segura de si e acalmar um pouco as suas crises para conseguir no fim salvar o dia.
Confesso que esperava algo diferente do livro e talvez seja por isso que ele me tenha ficado um pouco entalado na garganta. Por um lado, fiquei curiosa para saber mais, por outro não sei se aguento mais crises existenciais por parte da Kat.
Contudo, o mundo da Kat é fascinante, existem diversos tipos de magia, um Hall secreto e o facto dela ser a mais poderosa das três irmãs, herdeira dos poderes da mãe dela adoçam a história e tornam-na cativante. Creio que após este inicio atribulado a série vá melhorando, agora que Kat já sabe quem é e em quem pode confiar (ou pelo menos assim o parece) acredito que a história possa florescer.
Por isso torno a dizer, apesar de não ter gostado muito deste primeiro livro, fiquei curiosa para saber se os seguintes estão melhores ou não.


Capa com o título alternativo

0 leitores reagiram:

Que pensam Encruzilhad@s?