sexta-feira, 4 de junho de 2021

Conheçam o/a ilustrador/a! - Catarina Sobral

No último ano, tenho-me rendido aos livros infantis. Qualquer pessoa que passe pela página de instagram do Encruzilhadas saberá disso, especialmente pelo número de partilhas e sugestões que tenho colocado por lá. 

Nenhum livro infantil sobrevive sem ilustrações, já que estas compõem para mim 80% do enredo: mesmo quando uma criança não sabe ler, nem está em proximidade de alguém que possa reproduzir a leitura, há sempre espaço para a imaginação e para a criação artística por parte da mente da criança. É por isso que acho que os ilustradores devem ter maior destaque, assim como os projectos que desenvolvem, para além do livro individual.

Não somos formadas em artes, pelo que a nossa interpretação e leitura que possa advir desta rubrica será completamente leiga, e entusiástica.

Para iniciar esta exploração da imagética, debruçámo-nos sobre o trabalho de Catarina Sobral. 

Catarina Sobral nasceu em 1985. Formada em Design Gráfico, assim como em Ilustração, cedo começou a trabalhar como freelancer. Tem colaborado com a editora Orfeu Negro, Bruá, Kalandraka, e a Pato Lógico, com quem tem editado alguns dos seus livros, mas também elaborado booktrailers.  

 O livro "Vazio", editado em 2014, deu origem ao filme de animação "Razão entre Dois Volumes", que passou, por exemplo, no Festival Caminhos do Cinema Português, em 2018.

Para mais detalhe sobre os trabalhos da ilustradora, consultem o link.


 

Os seus livros têm mensagens simples, mas impactantes, que colocam miúdos e graúdos a pensar: a importância da família, da sustentabilidade, a solidão, a necessidade de auto-afirmação são algumas das temáticas abordadas. São transversais e intemporais, pelo que se percebe a tradução e edição em países tão dispares como a Coreia do Sul, Brasil, Espanha ou Suíça (Almeida, Manuel; 2018; in Observador)



Os seus trabalhos tendem a ser bastante coloridos e contrastantes, especialmente pela inexistência de uma palete de cores diversificada. A selecção mais restritiva é explorada pela conjugação de padrões e contrastes de sobreposições. O retracto é simples, as linhas orientadoras, e há cores que predominam: vermelho, azul, amarelo, preto, branco e laranja/castanho, mantendo-se próxima das cores primárias, com algumas variâncias. Há também uma associação constante com a linha geométrica, não porque ela esteja expressa e evidente, mas porque o olhar do leitor o remete para essa associação mental (talvez uma geometria dotada de diversas irregularidades..). 

 

A informação das imagens é simples, mas muitas vezes desconstrutiva, pela presença de pequenos detalhes que alimentam a imagem e que atribuem maior profundidade do que uma leitura imediata poderia premeditar.

Prémios e Reconhecimentos

- Menção Especial no Prémio Nacional de Ilustração, 2011: Greve

- Melhor Livro Infanto-Juvenil pela Sociedade Portuguesa de Autores, 2013: ACHIMPA

-Prémio Internacional de Ilustração na Feira do Livro de Bolonha, 2014: O Meu Avô

-White Ravens, 2014: Vazio

-Distinção na Feira Internacional do Livro Infantil de Xangai, 2018: Comment ça, il a renoncé?

 

 Já vos deixámos curiosos? Que tal espreitarem o site da ilustradora? http://catarinasobral.com/



Cláudia
Sobre a autora:
 
Maratonista de bibliotecas, a Cláudia lê nos transportes públicos enquanto observa o Mundo pelo canto do olho. Defensora da sustentabilidade e do voluntariado, é tão fácil encontrá-la envolvida num novo projeto como a tagarelar sobre tudo e mais alguma coisa. É uma sonhadora e gosta de boas histórias, procurando-as em cada experiência que vive.


0 leitores reagiram:

Enviar um comentário