sábado, 10 de julho de 2021

"A Minha Livraria", escolha da Cristina Delgado (O Tempo Entre os Meus Livros)

Quando lancei o desafio à Cristina (O tempo entre os meus livros), ela não foi capaz de enumerar uma única livraria. O que é óptimo sinal, porque terei várias sugestões para vos apresentar nos próximos posts desta rubrica. As livrarias são sempre diferentes e especiais para todas as pessoas. A Déjà Lu, a primeira escolha da Cristina, é especial para ambas. A primeira livraria solidária do país, nasceu num nicho mágico, na Cidadela Art District em Cascais, em 2005. Funcionando como uma livraria de livros já lidos (livrem-se de os chamar de segunda mão), reúne os esforços de um batalhão de voluntários e voluntárias que abrilhantam o projeto com o seu amor aos livros e à causa. É que o valor recolhido na venda destes livros doados reverte a favor da Associação Portuguesa de Portadores de Trissomia 21 e Pais 21. Eu tive o privilégio de ser uma das voluntárias durante muitos anos, que só a pandemia e necessidades de força maior afastaram temporariamente do projeto. Mas planeio voltar! O que é bonito é continuar a cruzar-me com pessoas do mundo dos livros que, de uma forma ou de outra, ou passaram pela livraria e se apaixonaram ou são voluntários do projecto. Mas afinal o que é que a torna tão especial?? A Cristina revela tudo:

                        

 1) Recordas-te da primeira visita? Quando foi? 

Não me recordo da primeira vez que visitei a Déjà Lu. Lembro-me sim da sensação de pertença que ele me trouxe. Estava em casa! Ficaria ali se pudesse, passaria ali as tardes a ler. O ambiente é fabuloso e a decoração, simples mas muito imaginativa, não lhe fica atrás..

2) O que é que a torna tão especial para ti? / Em que é que se diferencia das restantes?  

Uma das coisas que a diferencia das restantes é precisamente a decoração. Caixas e caixas de vinho a servirem de estantes, mensagens ao leitor em cartões junto aos livros indicando o género literário com frases cheias de subtileza e muito engraçadas, moveis aproveitados e que estariam no lixo se não tivessem encontrado esse lugar encantado,  sofás a pedir assento, TV esventradas a servir de estante, um mundo cheio de detalhes que não é qualquer meia hora que chega para descobrir!