Livros de dois discos

Penso que esta moda não seja recente mas ultimamente tem-me enervado grandemente que alguns autores andem a colocar-te partes "extra" das histórias nas primeiras edições dos livros.
Como leitora assídua que sou, o preço dos livros tornam-se por vezes um problema e quando os livros são lançados em capa dura, gosto de esperar pelas capas moles (que normalmente são metade do preço) para ler os livros que quero.
Sei que há livros que com as re-edições ganham novas introduções por outros autores e talvez mais uma ou outra anotação mas o que falo aqui são de capítulos inteiros ou histórias "extra". A primeira vez que este problema me afectou foi com o livro Requiem de Lauren Oliver, no qual, a primeira edição em capa dura tinha uma novella, uma história extra, contada do ponto de vista de uma das personagens. Esta história é exclusiva da edição física e foi limitada à primeira tiragem, ou seja, se nunca conseguir deitar as mãos a esta primeira edição nunca terei acesso a esta história.
Confesso que não fiquei muito aborrecida na altura porque, pensei para mim, deveria ser uma parte da história já conhecida contada apenas de outro ponto de vista e por isso, apesar de ser interessante era dispensável.
Mas este mês com o lançamento de United We Spy de Ally Carter (último volume da série Gallagher Girls) voltei a deparar-me com este problema. A primeira edição do livro, exclusiva à Barnes and Noble tinha um epílogo extra. E um epílogo não é uma parte conhecida da história, é uma parte inteiramente nova e que poderá ajudar a trazer algum conforto aos fãs que seguem a saga desde o primeiro volume. Pior, como este fim é exclusivo de uma cadeia de lojas americana, não há maneira de lhe deitar a mão. Terei de esperar que alguma alma caridosa o decida copiar para a internet para o poder ler.
Imaginam como seria se J.K.Rowling tivesse decidido escrever partes extra à saga Harry Potter mas apenas as disponibilizar para venda no Reino Unido? Ou no parque temático dos EUA? 
Por um lado compreendo que esta é uma maneira que os autores e as editoras tem de conseguir que mais leitores comprem os livros assim que eles são lançados, por outro lado acaba por ser uma injustiça para os leitores que não tem possibilidades de comprar livros assim que eles saem.
Esta nova técnica de markting lembra-me os DVD's especiais que são lançados dos filmes. Falo das Director's Cut e das edições de 12 discos do Senhor dos Anéis, falo das edições de 25 anos com 10 minutos de filme extra e todas as edições de DVD que parecem nascer para os fãs. Não tenho nada contra elas, eu própria tenho algumas e acho que se faz sentido ao fã comprá-las, que as compre.
Mas começa-me a aborrecer que isto esteja a começar a acontecer com os livros também. Principalmente se não conseguimos ter acesso a estas partes extra da história.
E vocês, Encruzilhados? Que pensam de tudo isto?

Ki
(Catarina)
Sobre a autora:

Bibliófila assumida e escritora de domingo. Gosta de livros e tudo o que esteja relacionado com eles, tem a mania que tem opiniões sobre coisas e gosta de as expor no seu blog conjunto Encruzilhadas Literárias, tem também uma conta no GoodReads e é das melhores coisas que já lhe aconteceu.

0 leitores reagiram:

Que pensam Encruzilhad@s?