Mais um encontro

Tal como prometido no artigo anterior hoje fui visitar a John Rylands Library que não só foi uma das atracções turísticas mais visitas do Reino Unido o ano passado, como faz parte da Universidade de Manchester.
Tornando agora este artigo um pouco massudo vamos entrar em nomes complicados e datas apenas relevantes para esta história.
A JRL abriu em 1900 ao público, pelas mãos de Enriqueta Augustina Rylands, em memória do seu falecido marido. Esta biblioteca já pertencia à Sr.ª Reynolds, que a encomendou em 1889 para ser um marco da sua vida em Manchester. Como quis que esta tivesse principalmente, pergaminhos religiosos toda a biblioteca foi construída num estilo neo-gótico e com semelhanças exterior a uma igreja. (Que podem confirmar na imagem abaixo)
A JRL juntou-se à Universidade de Manchester em 1972 e as colecções especiais de livros antigos de ambas as instituições foram arquivados na JRL em Deansgate (nome da rua onde fica a JRL). Acredita-se que a  colecção desta biblioteca  seja das maiores no Reino Unido e incluí manuscritos medievais repletos de iluminuras e vários exemplos das primeiras impressões europeias, incluindo uma Bibília de Gutenberg. A JRL possuí também aquele que é considerado uma das primeiras edições do Novo Testamento (o que provavelmente deixa a Sr.ª Dª Enriqueta Rylands muito feliz, esteja ela onde estiver.).
Na minha opinião a biblioteca é lindíssima e está fantasticamente preservada. Creio que um dos pontos a favor da biblioteca é o facto de não se entrar directamente nela e sim por um edifício ao lado que é extremamente moderno e vidrado. Daí, subimos umas escadas e subitamente começamos a ver pedra antiga e corredores misteriosos que lembram uma igreja vitoriano e é por aí que nos perdemos, escada acima e escada abaixo até que encontramos a sala de leitura (a que está na primeira foto) que fica no segundo andar (sim, segundo!) desta fantástica biblioteca.
Esta Sala de Leitura ainda é usada nos dias de hoje e os alunos da Universidade de Manchester podem usá-la para estudar e se levarem os seus portáteis podem aceder à net (não é necessário ser-se aluno para se entrar até porque a entrada é livre mas depois não se pode aceder à net). A Sala de Leitura tem vários nichos de estudo bastante interessantes onde os alunos podem estudar até às 17h.
Quando visitei a biblioteca, uma actividade da Páscoa ainda não tinha sido retirada e vários ovos de dragão estavam escondidos pelos recantos mais incríveis do edifício, o que contribuiu para dar uma atmosfera ainda mais mágica ao local. E para terminar a fotógrafa Gwen Jones estava a tirar fotografias a todos os visitantes da biblioteca e claro que não pude deixar de contribuir com a minha face para o seu projecto.
Assim e para terminar este artigo quero deixar-vos algumas fotos que tirei. Não estão nada de especial porque o telemóvel já é velhinho e não acho pilhas que entrem na minha máquina mas dá para terem uma ideia do que vi.







Ki
(Catarina)
Sobre a autora:

Bibliófila assumida e escritora de domingo. Gosta de livros e tudo o que esteja relacionado com eles, tem a mania que tem opiniões sobre coisas e gosta de as expor no seu blog conjunto Encruzilhadas Literárias, tem também uma conta no GoodReads e é das melhores coisas que já lhe aconteceu.

0 leitores reagiram:

Que pensam Encruzilhad@s?