Passatempo: Reunião de Heróis, de Ricardo Formigo

 Boa tarde a todos/as!

Acabámos de anunciar os resultados de um passatempo e já estamos a anunciar outro. Que não vos falte nada! ;)

Desta vez, são os leitores de fantasia a serem presenteados. "Reunião de Heróis" é o primeiro de uma trilogia que se quer épica e cheia de reviravoltas e aventuras. Como fomos contactadas directamente pelo autor, o vencedor ou vencedora terá direito a um exemplar autografado! Participem e boa sorte!



Sinopse:

Estes são tempos difíceis para os habitantes de Morlômbia!
Depois de meio século de guerra, o Rei Travis morre em batalha e é sucedido pelo seu primo Fallow, um tirano que apenas se preocupa com o poder, devastando tudo e todos em busca do que quer.
Annabelle, irmã de Travis, fica em perigo de vida e escapa da cidade de Madrasis rumo ao imponente Elmo do Martelo, uma fortaleza escondida nas montanhas, para proteger os Morlombos dos invasores Ingols.
Com a chegada iminente da guerra civil, cada um dos lados esforça-se por reunir aliados e conquistar a sua lealdade. Mas quem serão os heróis dispostos a lutar por cada um dos pretendentes ao trono de Morlômbia?


  
Regras do passatempo
1) O passatempo decorre até às 23h59 do dia 30 de novembro de 2016.
2) Todos os dados solicitados (incluindo Nick de Seguidor/a) devem ser devidamente preenchidos e completos.
3) Só serão aceites uma participação por pessoa.
4) O/A vencedor/a será sorteado/a de forma aleatória (random.org), sendo o resultado anunciado na página do blog e o contacto efectuado por email.
5) Gostar da página oficial do autor: https://www.facebook.com/ricardoformigoescritor
6) O Encruzilhadas Literárias e/ou o autor não se responsabilizam pelo extravio ou danos causados pelos CTT nas encomendas enviadas.


Vencedor: A Célula Adormecida, de Nuno Nepomuceno

 Boa tarde leitores e leitoras!

Estavam ansiosos/as pelos resultados do nosso último passatempo? Aqui vai ele. Há uma célula a ser despertada em São Martinho da Sardoura. Parabéns Jorge Martins! Aguardem desse lado que podemos ter novos passatempos a surgir em breve. Estejam atentos ;)

Vencedores: Os descendentes de Merlin - A Lenda do Conde Drácula, de Rita Vilela (Clube do Autor)

Já sorteamos os vencedores do nosso passatempo "Os descendentes de Merlin - A Lenda do Conde Drácula", de Rita Vilela (Clube do Autor)

1) Filomena Maria [...] de Sousa de Vila Nova de Gaia 

2) Ana [...] Domingos de Agualva 

3)Diana [...] de Brito de Vila Nova de Anha 

Parabéns às vencedoras! A editora já foi notificada e os vossos livros seguirão em breve pelo correio!

Review: The Frog In The Tree by Paul Waters

The Frog in the Tree
by Paul Waters 
Edition: 2015
Pages: 34
Editor: First Edition Design Publishing
Summary:
Reminiscent of The Wind in the Willows, The Frog in the Tree is a journey of discovery for both a frog and a baby crow who help each other overcome their fears and doubts. It is a tale of friendship and bravery and finally a family’s love at the end. 
Beautifully illustrated, the lilting storyline will carry the reader from beginning to end in a joyous melody of sight and sound.

Rating: 4/5


Review:
Sweet and caring this story revolves around family and being lost while keeping a magical perceptive of live. Froggy has been living on the trees for the past 100 days because he believes his family just doesn't care about him, he knows frogs shouldn't live in trees but that doesn't seem to mind him. He's adapted into his new world until a young crow falls into the river and he goes to help knowing that she will drown if he doesn't intervene. 
Seeing himself through the eyes of his new friend will help him understand that now all is what it seems and that family is a strong a bond. The pictures are beautiful and I am just sad they aren't all in color, I think it would be a marvelous addiction if they were so. 
The verses are clean and easy to read and this book would be wonderful to read at bedtime for children.




 Cat / Ki
Known bookaholic and writer on every other weekend Cat loves books and everything that's related to them. Sometimes she has feelings and opinions about books and the world and she writes about them (mostly in her blog Encruzilhadas Literárias). She also has a personal GoodReads account and she believes the world is a better place for it (AKA no more repeated books from relatives as gifts). She lives in the UK and can often be found either in Waterstones or the Charity Shops.

Opinião: As Primeiras Quinze Vidas de Harry August, de Claire North


As Primeiras Quinze Vidas de Harry August
de Claire North

Edição/reimpressão: 2016
Páginas: 432
Editor: Saída de Emergência




Resumo: Harry August não é um homem normal. Porque os homens normais, quando a morte chega, não regressam novamente ao dia em que nasceram, para voltarem a viver a mesma vida mas mantendo todo o conhecimento das vidas anteriores. Não interessa que feitos alcança, decisões toma ou erros comete, Harry já sabe que quando morrer irá tudo voltar ao início. Mas se este acumular de experiências e conhecimento podem fazer dele um quase semideus, algo continua a atormentar Harry: qual a origem do seu dom e será que há mais pessoas como ele?
A resposta para ambas as perguntas parece chegar aquando da sua décima primeira morte, com a visita de uma menina que lhe traz uma mensagem: o fim do mundo aproxima-se.
Esta é a história do que Harry faz a seguir, do que fez anteriormente, e ainda de como tenta salvar um passado que não consegue mudar e um futuro que não pode deixar que aconteça.
Rating: 3,5/5

Comentário: O tempo é e tem sido desde sempre um dos grandes mistérios da vida. Procuramos conhecer o passado e sonhar com o futuro, aprender com os que já viveram e conjunturar sobre as inovações que nos trarão os homens e mulheres de amanhã. A literatura nunca se esqueceu desta caixa de pandora, e a imortalização de "A Máquina do Tempo" de H. G. Wells é um exemplo disso, marcando toda uma corrente literária que tem vindo a explorar a temática sob as mais diversas formas. Claire North seguiu a tendência e trouxe-nos uma abordagem diferenciada à ideia da viagem no tempo. Harry August não se movimenta no espaço temporal segundo a sua vontade, mas num ritmo cíclico marcado por uma mesma origem e vivência, se assim por si determinada (pelo menos esta última, uma vez que a sua âncora é precisamente o acto do seu nascimento).
A sinopse já me tinha deixado curiosa por diversas vezes, pelo que fiquei entusiasmada com a publicação deste livro em Portugal. E não estava à espera de gostar tanto, mas acabei agradavelmente surpreendida.
O tempo está no centro da acção deste livro, mas o enredo vai muito além disso e centra-se principalmente na vida (ou vidas) de Harry August. É portanto um livro para apreciadores e contadores de histórias, centrando-se no percurso existencial desta personagem, que se revela bastante rica, complexa, humana e com uma sensibilidade especial, limada ao longo de todas as vidas derivadas da sua experiência.
Nascimento na década de 1920 e tendo uma esperança média de vida que invariavelmente garante a sua morte por volta de 1990, a personagem acaba por se inserir num contexto histórico bastante interessante, juntando elementos de ficção histórica com ficção científica, de uma forma bastante equilibrada e envolvente, que transforma um movimento cíclico num percurso mais interessante para o leitor. 
Tratando-se de uma narrativa assente numa perpectiva singular, a estrutura do livro acaba por facilitar uma maior dinâmica, ao não nos ser apresentada uma versão linear da sua existência, intercalando acontecimentos e "vidas" consoante os assuntos de relevo a apontar, que se fundamentam com uma estrutura narrativa de base, que acompanha a acção principal, que acabará por ganhar uma maior força a partir do meio do livro.
Gostei especialmente da confluência de pequenas observações e elementos para a construção do puzzle final, para além dos registos filosóficos e de reflexão sobre as viagens do tempo e as suas implicações para a estrutura temporal. Por vezes, e ainda que seja um livro muito diferente dos que irei mencionar, senti alguns elementos que me relembraram de "O Mundo de Sofia" e "A Mulher do Viajante do Tempo". Acho que tem um pouco do espírito de ambos se atentarmos às análises frequentes sobre a representação e consequências destas viagens num sentido mais vasto (dando azo a pequenos momentos quase que filosóficos), mas também pela influência que várias personagens catalisadoras acabam por ter na construção da trama final e na "colagem" deste personagem de forma a que a sua identidade não se perca. A abordagem desta personagem ao passar do tempo é também bastante interessante, especialmente porque, se o leitor assim quiser e estiver com alguma atenção, conseguirá detectar pequenas reflexões que se adaptam ao nosso presente, acelerado, repentino e corrido, que por vezes não nos deixa com muito espaço para aproveitar experiências, consolidá-las e torná-las parte de nós.
Não obstante, em "As Primeiras Quinze Vidas de Harry August" contamos também com uma trama de mistério e acção, um exercício que pede para ser desvendado e que nos leva para um plano para além do conto do passado, puxando o leitor para o centro da movimentação e criando desejo de atingir o desfecho.
Acabou por ser uma abordagem diferente do que esperava, mas bastante completa, pormenorizada, e com poder de envolver o leitor na história de um homem que foi quinze diferentes e um só ao longo de 400 páginas.
                                          

Cláudia
Sobre a autora:
 
Maratonista de bibliotecas, a Cláudia lê nos transportes públicos enquanto observa o Mundo pelo canto do olho. Defensora da sustentabilidade e do voluntariado, é tão fácil encontrá-la envolvida num novo projeto como a tagarelar sobre tudo e mais alguma coisa. É uma sonhadora e gosta de boas histórias, procurando-as em cada experiência que vive.